NOTA

Presidenta da CDH repudia massacre no Mato Grosso

Capangas mataram ao menos 9 pessoas na Gleba Taquaruçu do Norte, no Mato Grosso
:: Da redação24 de abril de 2017 11:26

Presidenta da CDH repudia massacre no Mato Grosso

:: Da redação24 de abril de 2017

A presidenta da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Regina Sousa (PT-PI), manifestou “total e absoluto repúdio” ao massacre que deixou pelo menos nove pessoas mortas na Gleba Taquaruçu do Norte, no município de Colniza (MT). Segundo a senadora, o caso é uma demonstração do descaso e e omissão das autoridades públicas com os Direitos Humanos.

Veja a íntegra da nota:

“Como presidenta da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa do Senado Federal manifesto total e absoluto repúdio ao massacre onde, pelo menos 9 pessoas foram mortas, no fim da manhã do dia 20 de abril, quinta-feira, na Gleba Taquaruçu do Norte, localizada na área rural do município de Colniza-MT.

Além das vítimas fatais, diversas pessoas ficaram feridas e outras desapareceram. Entre as vítimas, há crianças, adolescentes e idosos. A Gleba já tinha sido atacada várias vezes por capangas altamente armados, comandados pelos gerentes das fazendas na região, que aterrorizavam os moradores para que a área fosse desocupada pelos pequenos produtores, conforme conclusão de investigações da Polícia Civil, feitas há dois anos.

Este conflito, portanto, não é recente nem desconhecido das autoridades de segurança do estado de Mato Grosso. A indiferença com as denúncias, não efetivando a prisão e desarticulação dos mandantes e seus capangas, é uma demonstração do descaso e omissão das autoridades públicas com os Direitos Humanos. Um descaso que não é isolado ao contexto desse massacre.

Fica evidente que a omissão do atual governo federal é proposital ao propor a retirada de recursos e extinção de programas estratégicos direcionados à qualidade de vida dos trabalhadores do campo, promovendo cortes nos recursos de fiscalização para os órgãos competentes que devem acompanhar o cumprimento de demarcações determinadas pela Justiça.

Como presidenta da Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal, darei prioridade à todas as medidas que estiverem ao alcance de nossa Comissão para instar as autoridades competentes a apuração dos fatos e punição dos culpados.

Dia 11 de Maio do corrente ano a CDH do Senado Federal estará realizando uma audiência pública sobre o Dia Internacional da Mãe Terra e, esperamos, já com as informações consolidadas das investigações em curso, colocaremos a busca de ações para garantir os direitos humanos na luta pela terra como o principal tema a ser debatido.

É gritante o silêncio da mídia sobre mais esse massacre, mostrando que a aliança contra os governos populares é muito mais profunda do que parecia no primeiro momento.

A Comissão de Direitos Humanos do Senado Federal não se calará frente a qualquer injustiça, porque estaremos sempre defendendo que todas as famílias tenham casa, todos os trabalhadores tenham direitos e todos os trabalhadores do campo tenham terra”.

Senadora Regina Sousa

Presidenta da CDH do Senado Federal

Leia também