Presidenta Dilma reafirma “preocupação” com a saúde de Genoino

“Ele teve uma doença muito grave no coração e toma anticoagulante”, destacou a presidenta, lembrando também sua proximidade com a família de Genoino.

:: Da redação20 de novembro de 2013 16:53

Presidenta Dilma reafirma “preocupação” com a saúde de Genoino

:: Da redação20 de novembro de 2013

“Eu estive encarcerada com a mulher do
Genoino, durante o a ditadura militar.
Portanto, manifestei a minha preocupação
com a saúde dele, em caráter estritamente
pessoal” (Agência Brasil)

“Manifestei de fato uma grande preocupação humanitária em relação à saúde do deputado federal José Genoino. Fiz porque sei as condições de saúde dele. Ele teve uma doença muito grave no coração e toma anticoagulante”, afirmou a presidenta Dilma Rousseff em entrevista a duas rádios locais de Campinas (SP), na manhã desta quarta-feira (20).

A presidente também fez questão de destacar a relação pessoal que tem com a família do deputado, preso na Penitenciária da Papuda depois de condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento da Ação Penal 470. “Eu estive encarcerada com a mulher do Genoino, que se chama Rioko, durante o período da ditadura militar. Portanto, manifestei a minha preocupação com a saúde dele, em caráter estritamente pessoal”, observou.

A fala da presidenta está em consonância com o laudo do Instituto Médico Legal (IML) sobre a saúde do ex-presidente do PT. De acordo com o documento “Genoino é paciente com doença grave, crônica e agudizada, que necessita de cuidados específicos, medicamentosos e gerais”. Além disso, precisa de controle periódico por exame de sangue, dieta com menos sal e adequada aos medicamentos utilizados pelo petista, além de médica cardiológica regular.

Julgamento

Dilma, no entanto, que, apesar de ter sua avaliação pessoal sobre o julgamento, não fará qualquer tipo de observação sobre o assunto enquanto estiver no cargo. Obedecendo um princípio democrático, a presidenta argumenta que não pode interferir nos outros poderes, para garantir uma convivência harmônica.

“Eu não faço observações, críticas ou análises a respeito de sentenças da Suprema Corte do meu País, e acho que esse é um procedimento exigido dos presidentes dos Poderes, não é só de mim, é dos presidentes dos Poderes no sentido de respeito ao outro Poder e de convivência harmônica pois, caso contrário, eu estaria desrespeitando a Constituição”, destacou.

Com agência de notícias

Leia mais:

Manifesto de repúdio às prisões ilegais

Viana condena “ação espetaculosa” das prisões de Genoino, Dirceu e Delúbio

Tarso Genro: “direita derrotada fundiu uma ilusória vitória através do Direito”

“O que está em jogo neste momento é a democracia brasileira”, diz Wellington


Leia também