PT não indica apoio a nenhum candidato no Congresso Nacional

:: Da redação23 de janeiro de 2017 18:20

PT não indica apoio a nenhum candidato no Congresso Nacional

:: Da redação23 de janeiro de 2017

O presidente nacional do PT,  Rui Falcão, explicou, em entrevista coletiva após reunião do Diretório Nacional, nesta sexta-feira (20), em São Paulo, que a resolução aprovada pelo partido não indica apoio a nenhum candidato nas eleições das mesas na Câmara dos Deputados e Senado Federal.

“É importante ler a resolução porque lá não há apoio a nenhum dos candidatos inscritos ou que venham a se inscrever eventualmente. Então, o que há é um conjunto de condições para participar da mesa nas duas casas. A primeira condição é o respeito à Constituição”, disse.

“O que a gente tá orientando a bancada do PT é para, reiterando as iniciativas que eles têm tomado, coloque publicamente essas condições aos candidatos e aos partidos e assegure a nossa participação na mesa. (…) Não há nenhuma indicação de candidatura. Nós dizemos apenas que a Bancada se reúna e decida por consenso, ou por maioria se necessário, e explicite claramente para a população brasileira as razões da escolha”, afirmou, em entrevista coletiva.

Rui Falcão informou, porém, que há orientações para que a bancada petista faça a escolha. Entre as orientações, é pedido que haja respeito à Constituição, que a mesa seja uma trincheira de lutas, e não “um palco de conchavos e acordos espúrios”, além de evitar que se aprove a reforma da Previdência e outras retiradas de direitos da população. Leia aqui a resolução aprovada nesta tarde.

O presidente do PT também destacou que “não há nenhuma página virada em relação aos golpistas” e que a luta do partido hoje se baseia em temas de forte oposição ao governo golpista de Michel Temer.

“O centro da nossa luta hoje se consagra em três consignas: ‘ Fora Temer’, que é o reconhecimento de que nós queremos o fim do golpe; ‘ Diretas Já’, que também mostra que queremos acabar com o golpe, depondo o presidente ilegítimo pelo voto popular; e, terceiro, ‘Nenhum Direito a Menos’, que expressa a nossa luta para impedir a revogação de conquistas históricas”.

Agência PT de Notícias

 

Leia mais:

Diretório Nacional afirma que “é preciso resistir ao programa neoliberal”

Leia também