Lideranças Negras

PT recorre para restituir Benedita e Marina entre lideranças negras

A representação apresentada pelos senadores petistas pede apuração de eventual prática de atos de improbidade administrativa, cometidos por Sérgio Camargo, presidente da Fundação Palmares, que mandou retirar Benedita da Silva e Marina Silva da lista de personalidades negras que marcaram a história do Brasil
:: Da redação19 de outubro de 2020 18:05

PT recorre para restituir Benedita e Marina entre lideranças negras

:: Da redação19 de outubro de 2020

A bancada do PT no Senado entrou com representação na tarde desta segunda-feira (19) na Procuradoria Geral da República (PGR) para pedir apuração de responsabilidade civil administrativa do atual presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, pela exclusão dos nomes de Benedita da Silva e de Marina Silva, do rol das personalidades negras que marcaram a história do Brasil e do mundo.

A alegação de Camargo para a retirada dos nomes é que Benedita da Silva estaria respondendo a processo por improbidade administrativa, enquanto Marina da Silva se autodeclararia negra por conveniência política e que é necessário “relevância e mérito” para estar entre as lideranças negras listadas no site institucional da Fundação Cultural Palmares.

O senador Paulo Paim (PT-RS), presidente da Comissão dos Direitos Humanos, alerta para a tentativa de apagar as histórias de luta e resistência do povo negro: “O Brasil tem que exaltar suas heroínas e heróis negros, de ontem e de hoje, Zumbi dos Palmares, Dandara, Lanceiros Negros, Abdias Nascimento, Benedita da Silva, Marina Silva. Tentam apagar os nomes.  Insistem em desacreditar a história e a luta da nossa gente altiva.  Mas quem já fincou raízes na terra em defesa da liberdade, da justiça, da democracia e da igualdade não sucumbe aos ventos das discórdias”.

“Só muito preconceito e inveja com o sucesso alheio podem motivar a retirada dos nomes de grandes personalidades negras como Benedita da Silva e Marina Silva da Fundação Palmares. Fazem isso para tentar esconder o brilho que eles não conseguem ter”, comentou o senador Jaques Wagner (PT-BA).

Benedita e Marina: lideranças negras

Segundo indica o site institucional da Fundação, a lista da qual Benedita e Marina foram retiradas conta com personalidades negras que marcaram a história do Brasil e do mundo, reconhecendo que “a luta em favor da cultura negra e contra o racismo produziu e irá produzir, por tempo indeterminado, um grande número de lideranças que precisarão ser resgatadas”.

Benedita da Silva, Deputada Federal (PT-RJ) e ex-senadora, e Marina Silva, ex-senadora e ex-ministra do Meio Ambiente, apresentam biografias que revelam, além da cosmologia negra – sob o aspecto do gene, como da ambientação social -, trajetórias de ativismo social, ideológico, político, dedicadas à luta pelo reconhecimento e concretização de direitos humanos e garantias fundamentais à população negra, à preservação e disseminação da sua cultura, à sua inclusão social em patamares de justiça e igualdade.

Uma breve pesquisa na Internet pode  demonstrar o histórico de interesse, atuação e comprometimento de Benedita e Marina nas questões que envolvem a população negra e, ainda mais especificamente, a atuação em prol do combate ao racismo sobre os negros (e seus desdobramento socioeconômicos) e da valorização e preservação da cultura negra – duas das frentes mais relevantes.

Em todas as atividades que já desempenharam e desempenham, cargos públicos que ocuparam e ocupam, produção literária, projetos de lei, promoção de políticas públicas, a causa negra está direta ou transversalmente pautada.

Para a bancada do PT no Senado, negar este reconhecimento a ambas – Benedita da Silva e Marina Silva – é excluir dos registros históricos do país personalidades essenciais à construção e fortalecimento dos valores e da cultura negra.

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também