Nova composição

Saiba quem vai compor a bancada do PT no Senado a partir de 2019

Na próxima legislatura, a bancada do Partido dos Trabalhadores no Senado será composta por seis parlamentares
:: Rafael Noronha8 de outubro de 2018 12:19

Saiba quem vai compor a bancada do PT no Senado a partir de 2019

:: Rafael Noronha8 de outubro de 2018

No próximo dia 1º de fevereiro, 54 senadoras e senadores tomarão posse para exercerem o mandato no Senado Federal ao longo dos próximos oito anos. Na próxima legislatura, a bancada do Partido dos Trabalhadores no Senado será composta por seis parlamentares.

Além da senadora Fátima Bezerra (RN) e Paulo Rocha (PA) – ambos com mandato até janeiro de 2023 – foram eleitos no pleito do último domingo Jaques Wagner (BA) e Rogério Carvalho Santos (SE), e reeleitos os senadores Humberto Costa (PE) e Paulo Paim (RS).

O ex-governador da Bahia Jaques Wagner venceu a disputa, com 35% dos votos – cerca de 3,7 milhões – e representará o estado no Senado Federal. Wagner esteve à frente da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico do governo Rui Costa. Antes, o petista foi ministro da Defesa e da Casa Civil, além de chefe de Gabinete nos governos da presidenta legítima Dilma Rousseff.

“Conseguimos uma vitória histórica: mais de 4 milhões de votos. Agradeço de coração todo o apoio e carinho que recebi durante toda a campanha”, comemorou Jaques Wagner.

O atual deputado federal Rogério Carvalho Santos teve 298 mil votos – 16,4% – e garantiu uma das vagas do Sergipe para o Senado Federal. Começou sua atuação política no movimento estudantil, enquanto cursava Medicina na Universidade Federal de Sergipe. Depois, cursou doutorado na Unicamp. Entre 2001 e 2006 ocupou o cargo de secretário de Saúde de Aracaju e do estado de Sergipe. Foi eleito deputado estadual e federal, sendo o deputado federal mais bem votado do estado até então.

“Farei cada dia do meu mandato como se fosse o último dia, com dedicação total ao povo de Sergipe e ao povo do Brasil. Esse é o meu desafio de não decepcionar, até porque a política é uma sucessão de decepções e quero superar isso, quero corresponder na honestidade. Tudo que eu fizer farei pensando naqueles que acreditaram em mim”, disse o senador eleito.

No Rio Grande do Sul, Paulo Paim foi reeleito senador com 1,8 milhão votos, um total de 17,7%.  Ele é autor de diversas leis, entre elas o Estatuto do Idoso e Estatuto da Igualdade Racial. Paim também é o autor do Estatuto da Pessoa com Deficiência, do Estatuto do Motorista Profissional, da redução da jornada de trabalho sem redução de salários e do Fundep (Fundo do Ensino Profissionalizante).

“O horizonte é logo ali. Caminhemos juntos… Ainda há muito por fazer”, disse o senador Paulo Paim após a divulgação do resultado de sua reeleição.

Outro senador do PT reeleito foi Humberto Costa. O petista teve 25,7% dos votos – um total de 1,6 milhão. Costa foi eleito para o Senado em 2010 com 38,8% dos votos válidos. Em 2011, assumiu a frente da liderança do PT e do Bloco de Apoio ao Governo no Senado. No mesmo ano, foi eleito o 13º parlamentar mais influente do Congresso Nacional e o mais influente de Pernambuco. Também recebeu o prêmio Congresso em Foco pela atuação na área da Saúde.

“Quero agradecer, de todo o meu coração, ao apoio das pernambucanas e dos pernambucanos. Meu mandato segue todo dedicado ao nosso estado. Minha maneira de agradecer será todo dia com muito trabalho”, destacou Humberto Costa.

Outra mudança ainda pode ocorrer na bancada dependendo do resultado das eleições de segundo turno para o Governo do Rio Grande do Norte. A senadora Fátima Bezerra está disputando o segundo turno e, caso saia vitoriosa da disputa, assume o mandato o suplente Jean-Paul Prates.

Jean-Paul Prates é advogado e economista. Mestre em Planejamento Energético e Gestão Ambiental pela Universidade da Pennsylvania; Mestre em Economia do Petróleo pelo Instituto Francês do Petróleo. Tem mais de 20 anos de experiência na concepção e execução de centenas de projetos nas áreas de petróleo, gás natural, biocombustíveis e energia renovável. Foi Secretário de Estado de Energia do Rio Grande do Norte, onde fixou residência desde 2005.

Atualmente, dirige o primeiro think-tank do Nordeste: o CERNE – Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia, voltado para estratégias públicas e privadas nestes setores. Preside o SEERN – Sindicato das Empresas do Setor Energético do RN e atua no conselho de empresas do setor. É diretor corporativo das consultorias CRN-Bio e Expetro.

Leia também