Senado aprova incentivo para agricultura irrigada

Objetivo é alavancar a tarifa verde de energia elétrica

 

:: Catharine Rocha3 de junho de 2014 23:00

Senado aprova incentivo para agricultura irrigada

:: Catharine Rocha3 de junho de 2014

 

Pimentel: “O relógio vai reduzir
em muito a competitividade
para o setor agropecuário”

Para incentivar a utilização da tarifa verde de energia elétrica na agricultura irrigada, o Senado Federal aprovou, na noite desta terça-feira (3), a instalação de relógios de dupla tarifação em todas as propriedades brasileiras. Antes de começar a valer a medida, identificada como PDL 787/2009, ainda precisa ser aprovada pela Câmara dos Deputados.

A tarifa verde de energia foi estabelecida pelo Governo Federal para incentivar os produtores a consumir energia em horários alternativos pela agricultura irrigada e aquicultura. Atualmente, essa tarifa diferenciada compreende os horários das 21h30 às 6h. Entretanto, por falta de condições financeiras para instalar medidores de energia especiais, muitos produtores deixam de usufruir do desconto. E é essa distorção que o Senado buscou resolver com o PDL 787, que faculta às empresas concessionárias de energia a colocação dos relógios de dupla tarifação, sem custo para o agricultor ou aquicultor.

A decisão foi comemorada pelo senador José Pimentel (PT-CE), líder do Governo no Congresso. Segundo ele, o duplo controle do uso da energia na área rural pode aumentar a competitividade para o setor agropecuário, especialmente da agricultura familiar, que dispõe de menos recursos. “O relógio que registra diferentemente a energia voltada para o campo da energia residencial vai reduzir em muito esses custos e permitir que nós possamos ter cada vez mais uma política de irrigação na Região Nordeste beneficiando os pequenos, que são a razão de ser da nossa região”, avaliou Pimentel.

De acordo com o Ministério de Minas e Energia, apesar de os relógios especiais ainda não estarem instalados na maioria das fazendas brasileiras, os maiores descontos praticados pelo setor elétrico nacional já beneficiam a produção irrigada, chegando a 90% na região nordeste e norte de Minas Gerais.

Catharine Rocha

Leia mais:

Aprovado projeto de Pinheiro que dá desconto para agricultura irrigada

Pinheiro: renovar concessões do setor elétrico é urgente

 


Leia também