Senador aliado condena “campanha” da mídia pelos juros

Inácio Arruda ressaltou que a alta da taxa representa bilhões no custo da dívida. “Assalto, roubo, ladroagem contra o povo brasileiro!”, reagiu.

:: Da redação10 de abril de 2013 20:34

Senador aliado condena “campanha” da mídia pelos juros

:: Da redação10 de abril de 2013

A “campanha” só interessa 
“a uma dezena de consultores
das agências bancárias e dos
rentistas. Que vivem da
ganância. Que vivem dos juros”

Não são apenas os parlamentares petistas que percebem: há uma campanha articulada na mídia para aumentar a taxa básica de juros no Brasil. O senador do PCdoB Inácio Arruda (CE) foi à tribuna nesta quarta-feira (10) para denunciar a movimentação. “Assalto, roubo, ladroagem contra o povo brasileiro! É isso que se está tentando fazer. Não há nada mais grave!”, assegurou o parlamentar, que integra a base aliada.

Arruda lembrou que a elevação dos juros significa bilhões de aumento na dívida interna brasileira e não, como querem os adversários do Governo, o combate à inflação.

“Que escárnio contra o povo brasileiro! Pelo amor de Deus! Isso não é mais aceitável, arguir a independência de Banco Central. Sinceramente, o Banco Central é independente e não pode ficar submetido a uma campanha atroz”, protestou, lembrando que a campanha pela puxada nos juros só interessa  “a uma dezena de consultores das agências bancárias, dos rentistas, desses que não põem um prego numa barra de sabão no Brasil. Que vivem da ganância. Que vivem dos juros. Que clamam todo dia por juros, juros e juros”.

Para Inácio Arruda, tornar o Banco Central independente – tese defendida por alguns economistas – não  significa permitir alta nos juros. “Se for isso, sinceramente, não dá para ter Banco Central independente. Se ele tem como matriz, base, manter a política de juros, para permitir que a ganância, o rentismo, o parasitismo se mantenha como mestre da economia, aí não dá”,disse.

Ao final, apelou aos empresários para que produzam mais. E lembrou que o Brasil nunca investiu tanto: “em infraestrutura, no setor de logística, no transporte ferroviário, metrô, estradas, construção de navios que tinham acabado; tudo isso está sendo retomado, sendo reconstruído, sendo reanimado na economia brasileira, pela graça da ação da nossa presidenta e que já vem desde o presidente Lula, avaliou.

Giselle Chassot
Foto: Agência Brasil

Leia mais:

Receita recessiva alia-se à especulação para elevar os juros

Banco Central: Tombini repele criação de clima inflacionário

Leia também