em meio a pandemia

Senadores avaliam como temeridade troca na Saúde

Bancada do PT no Senado critica decisão de Bolsonaro em exonerar ministro da Saúde em meio à pandemia do novo coronavírus e gera dúvidas sobre caminho que o Brasil tomará
:: Rafael Noronha16 de abril de 2020 19:31

Senadores avaliam como temeridade troca na Saúde

:: Rafael Noronha16 de abril de 2020

A bancada do PT no Senado reagiu com críticas a decisão anunciada na tarde desta quinta-feira (16) por Jair Bolsonaro pela troca de comando no Ministério da Saúde. O presidente e Luiz Henrique Mandetta protagonizaram uma série de divergências nas últimas semanas acerca da abordagem do Brasil frente à pandemia do novo coronavírus.

Na avaliação do senador Rogério Carvalho (SE), líder do PT no Senado, é uma temeridade a decisão de Bolsonaro por mudar o comando do Ministério da Saúde no epicentro da pandemia.

“No epicentro de uma pandemia, é uma temeridade mudar a equipe de comando de um ministério com a importância do Ministério da Saúde, que é responsável pela coordenação de todas as ações sanitárias de combate ao coronavírus”, disse.

Na mesma linha analisou o senador Jaques Wagner (PT-BA). Para o senador, o governo deve atuar para trazer tranquilidade para a população em momento tão delicado. “Considero temerária a troca de comando no meio de uma crise dessa dimensão. O governo precisa fazer movimentos que tragam tranquilidade para a população e não mais incertezas”, disse.

O governo Bolsonaro, para o senador Jean Paul Prates (PT-RN), mais uma vez anda na contramão do restante do mundo. Enquanto praticamente todos os países do mundo reúnem esforços para o combate a COVID-19, o governo não consegue se unir para combater o problema.

“O Governo Federal anda, mais uma vez, na contramão. Enquanto o mundo e os governantes reúnem suas tropas para combater o coronavírus, Bolsonaro exonera Luiz Henrique Mandetta, principal figura dentro do governo na linha de frente contra o coronavírus”, lamentou.

Já o senador Paulo Rocha (PT-PA) apontou que a troca de comando no Ministério da Saúde deixa mais dúvidas do que certezas com relação as medidas que serão adotadas daqui em diante.

“O Brasil continuará seguindo diretrizes em saúde pública ou o que os interesses econômicos recomendam? Se for necessário, acionaremos o STF para impedir que o governo tome medidas irresponsáveis neste momento de crise”, alertou.

O senador Humberto Costa destacou que a demissão de Mandetta é mais uma amostra da completa irresponsabilidade com que Bolsonaro trata todas as questões que dizem respeito a população brasileira.

“Bolsonaro tem desvio de caráter e exonerou Mandetta por inveja. Ele não tem dimensão alguma sobre a gravidade do avanço do coronavírus no Brasil. Contra a ciência e o isolamento social, o presidente deu mais uma demonstração de irresponsabilidade com o País”, criticou.

 

Leia também