prioridades distorcidas

Senadores classificam como “aberração” desoneração de armas

Jean Paul Prates e Paulo Rocha cobraram do governo medidas de combate à inflação e um plano de vacinação
:: Rafael Noronha10 de dezembro de 2020 12:22

Senadores classificam como “aberração” desoneração de armas

:: Rafael Noronha10 de dezembro de 2020

Os senadores Jean Paul Prates e (PT-RN) e Paulo Rocha (PT-PA) reagiram ao anúncio do governo de desoneração de impostos sobre importação de armas de fogo anunciada pelo governo.

Atualmente, a importação de armas de fogo tem uma alíquota de 20% sobre o valor do produto. Ao zerar a taxa de importação, o Brasil coloca essas armas de fogo numa lista de exceção para produtos com tarifas diferentes daquelas adotadas por países membros do Mercosul.

“É uma aberração. Isso significa que mais armas para matar nosso povo. Em vez de armas, o governo podia fazer desoneração para alimentos e remédios. Mas em plena pandemia, o que ele promove são instrumentos para matar pobres. Ele não quer melhorar a vida”, criticou o senador Paulo Rocha.

O senador Jean Paul Prates também questiona a prioridade do governo na facilitação do acesso da população a armas de fogo em detrimento de políticas e estratégias de vacinação contra a Covid-19.

“Com a população ansiosa por um plano de vacinação que o governo não consegue apresentar, é um acinte que Bolsonaro se dedique a editar medidas que facilitem ainda mais o acesso às armas de fogo”, criticou.

Leia também