Justiça política

Senadores criticam arrogância e parcialidade de Moro

Jorge Viana, Humberto Costa e Fátima Bezerra desmascaram caráter político da decisão do juiz Sérgio Moro de prender o ex-presidente Lula
:: Carlos Mota10 de abril de 2018 18:03

Senadores criticam arrogância e parcialidade de Moro

:: Carlos Mota10 de abril de 2018

Senadores petistas subiram o tom nesta terça-feira (11) contra as falas e ações do juiz da Lava Jato, Sérgio Moro, no período da prisão do ex-presidente Lula.

O senador Jorge Viana (PT-AC) criticou um fala do juiz durante o painel do Fórum da Liberdade, em Porto Alegre. No evento, Moro afirmou que “Rosa Weber não muda, ao sabor do acaso, seu voto”, em referência à negativa da ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) ao pedido de habeas corpus feito pela defesa do ex-presidente Lula na Corte.

“Então, é o juiz que encarcerou o presidente Lula que manda na ministra do Supremo, é isso? Nós estamos vivendo esse tempo? O desrespeito com o Supremo Tribunal Federal vem de um juiz de primeira instância ou esse juiz está achando que ele está acima de todos: da lei, das leis, da Constituição, dos Ministros do Supremo e da Suprema Corte deste País?”, questionou Viana.

A falta de respeito a todos os prazos legais para que a ordem de prisão fosse expedida também foi criticada pelos parlamentares. De acordo com o senador Humberto Costa (PT-PE), o juiz da Lava Jato justificou esse ato para não haver tempo de o STF discutir o tema da detenção em segunda instância, evitando que Lula fosse preso.

“Essa atitude, mais uma vez, mostrou de forma clara como esse magistrado, lamentavelmente, tem agido de maneira parcial em todo esse processo. […] Ao menos, ficou evidente para toda a população brasileira o ódio por ele nutrido contra Lula”, criticou Humberto.

Já a senadora Fátima Bezerra acredita que a história mostrará os interesses e comandos seguidos por setores do sistema de justiça do país – até estrangeiros, como o dos Estados Unidos.

“Na verdade, essa prisão injusta e cruel de Lula faz parte do roteiro do golpe parlamentar iniciado em 2016. Com essa prisão do presidente, eles querem agora sepultar de vez a soberania do voto popular, visto que Lula lidera todas as pesquisas de intenção de voto – esse é o desejo da maioria do povo brasileiro”.

A prisão de Lula vem sendo alvo de críticas por parte de autoridades e até mesmo juristas. Além da falta de respeito ao devido processo legal para o ato, Sérgio Moro levou apenas 22 minutos para produzir e liberar a ordem determinando a detenção de Lula.

Leia também