tragédia ambiental

Senadores criticam divulgação de dados falsos sobre queimadas

Na tentativa de se descolar da visível incompetência na área ambiental e do desastre que consome a Amazônia e o Pantanal, Secretaria de Comunicação do governo divulga informações falsas sobre queimadas no Brasil em 2020
:: Rafael Noronha28 de setembro de 2020 12:35

Senadores criticam divulgação de dados falsos sobre queimadas

:: Rafael Noronha28 de setembro de 2020

Os senadores da bancada do PT criticaram a tentativa do governo de se esquivar da tragédia ambiental que assola o Brasil com a ascensão do governo Bolsonaro. No último final de semana, o governo publicou uma comparação incabível e fez uma afirmação falsa de que a área queimada no País é a menor dos últimos 18 anos.

“A desinformação é a base de sustentação do governo Bolsonaro. A pior consequência é a destruição das nossas riquezas naturais. A ignorância dele promove a cegueira diante do risco à vida. Na verdade, o coloca como o próprio autor do extermínio ao meio ambiente no Brasil”, criticou o senador Rogério Carvalho (SE), líder do PT no Senado.

Os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) são públicos, estão na internet, são gratuitos e de fácil compreensão. “Esse governo ignora o ensinamento de Abraham Lincoln, de que ‘você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo’. Felizmente, no fim, a verdade sempre brotará”, disse o senador Jaques Wagner (PT-BA), vice-presidente da Comissão de Meio Ambiente (CMA).

De janeiro a agosto de 2020, houve registro de 121.318 km² de área queimada em todo o Brasil. Este dado é utilizado na publicação da Secretaria de Comunicação do governo (Secom). No entanto, para o ano de 2019, a Secretaria usa como dado os 318.389 km² que queimaram durante todos os 12 meses do ano passado.

Se utilizasse o mesmo período que é possível para 2020 — de janeiro a agosto —, a área queimada, ainda assim, seria maior em 2019, primeiro ano da gestão de Bolsonaro, 131.327 km².

Porém, fazendo a comparação entre os mesmos períodos de 2003 a 2020, o governo teria que informar que 2020 teve mais área queimada que os anos de 2008, 2009, 2011, 2013, 2014, 2015, 2017 e 2018.

“A Secretaria de Comunicação do governo divulgou dados mentirosos do Inpe para falar que o país era mais afetado pelo desmatamento no governo Lula. Obviamente, foram desmascarados e humilhados, mais uma vez”, destacou o senador Humberto Costa (PT-PE).

O site do Inpe também permite fazer a comparação do total de focos ativos de queimadas detectados pelo satélite de referência em cada mês, no período de 1998 até 26/09/2020.

De janeiro até este sábado, eram 151.779 focos em todo o país, mais que os 143.734 registrados entre janeiro e setembro do ano passado.

Até sábado, o Pantanal já registrava um total de 16.667 focos ativos de queimadas, mais do que a soma dos 12 meses de 2019 (10.025).

Com informações de agências de notícias

Leia também