Descaso

Senadores criticam ações de despejos durante pandemia

Parlamentares teceram críticas ao fato de famílias serem despejadas de suas residências em meio à pandemia de Covid-19. Rogério Carvalho defende projeto de sua autoria que proíbe realização de despejos. Jean Paul Prates critica "hipocrisia" do governo que apresenta medidas apenas para os ricos
:: Rafael Noronha24 de agosto de 2020 10:43

Senadores criticam ações de despejos durante pandemia

:: Rafael Noronha24 de agosto de 2020

Os senadores do PT criticaram a “insensível” e “perversa” ação de despejos de famílias em meio à pandemia do novo Coronavírus. Reportagem exibida na noite do último domingo (23), pela Rede Globo, destaca a migração de famílias em situação de vulnerabilidade para ocupações em diversas cidades do País.

Durante o período de calamidade pública, o Congresso Nacional havia aprovado proposta que impedia a realização de despejos por atraso no pagamento de aluguel durante a pandemia. Mas, Bolsonaro vetou a proposta.

Na última semana, o Congresso Nacional derrubou o veto presidencial. Com isso, os despejos decididos por liminares estão proibidos até 30 de outubro, nas ações ajuizadas a partir do dia 20 de março.

O senador Rogério Carvalho (PT-SE), líder da bancada, apresentou o Projeto de Lei (PL 3224/2020) com intuito de impedir a concessão de medida liminar ou a execução de sentença de despejo ou desocupação de imóvel urbano, residencial ou comercial durante a pandemia de Covid-19.

“É tempo de solidariedade e mãos dadas para superarmos os tristes efeitos da pandemia”, apontou.

Já o senador Jean Paul Prates (PT-RN) classificou como “revoltante” a hipocrisia dos “falsos puritanos” do governo Bolsonaro que, em meio à pandemia, tem se solidarizado apenas com a situação dos ricos e abandonado os mais pobres à própria sorte.

“As cenas de um ‘Brazil’ insensível e perverso que se miserabiliza minuto a minuto devorando vorazmente conquistas sociais e se dizendo ‘Deus acima de tudo’. Revoltante a hipocrisia e a cara de pau destes falsos puritanos e liberais de fachada: querem o governo só para ajudar ricos”, criticou o senador.

 

Leia também