avanço nas investigações

Senadores exigem retomada das atividades da CPMI das Fake News

Colegiado investiga criação de perfis falsos e ataques cibernéticos com possível influência no processo eleitoral
:: Rafael Noronha27 de maio de 2020 14:09

Senadores exigem retomada das atividades da CPMI das Fake News

:: Rafael Noronha27 de maio de 2020

Os senadores do PT reforçaram, nesta quarta-feira (27), a necessidade da retomada imediata das atividades da CPMI das Fake News, paralisada em decorrência da pandemia do novo Coronavírus.

A Polícia Federal realizou nesta manhã buscas e apreensões no âmbito do inquérito do Supremo Tribunal Federal que apura produção de informações falsas e ameaças à Corte – conhecido como “inquérito das fake news”.

Entre os alvos estão o ex-deputado federal Roberto Jefferson; o empresário Luciano Hang, dono da Havan; os blogueiros Allan dos Santos e Winston Lima. Todos aliados do presidente Jair Bolsonaro.

“As investigações da CPMI podem ter papel relevante no auxílio ao inquérito sobre o mesmo tema, em curso no STF. É uma apuração fundamental para preservar nossa democracia, que vem sendo solapada por essa prática criminosa”, argumenta o senador Jean Paul Prates (PT-RN).

Ao longo das investigações promovida pelo STF, laudos técnicos demonstraram que um grupo produz e dissemina as informações falsas, sempre seguindo o padrão de mesmos tipos de mensagens e mesma periodicidade. Foram identificados pelo menos quatro financiadores desse grupo.

O ministro Moraes determinou ainda que deputados deverão ser ouvidos no inquérito em até 10 dias. Dentre eles estão: Bia Kicis (PSL-DF), Carla Zambelli (PSL-SP), Daniel Silveira (PSL-RJ), Filipe Barros (PSL-PR), Junio Amaral (PSL-MG) e Luiz Phillipe de Orleans e Bragança (PSL-SP).

“Os crimes cometidos por essas pessoas vão além de participar e financiar milícias digitais e difundir fake news. Os investigados destroem reputações, atacam famílias e, acima de tudo, são uma afronta à democracia”, apontou o senador Humberto Costa (PT-PE).

O senador ainda anunciou que apresentará requerimento junto ao colegiado para que todos os parlamentares alvos do inquérito que tramita no STF sejam imediatamente afastados da comissão. “É inaceitável que exerçam o papel de investigadores de crimes pelos quais são investigados”, explicou Humberto.

“As fake news são uma ameaça concreta à democracia. Apurar, punir e coibir o verdadeiro tsunami de desinformação e mentiras que varre a internet para proveito político dos inescrupulosos é tarefa inadiável”, reforçou Jean Paul.

Leia também