Senadores irão com presidenta Dilma à reunião que discutirá seca

Senadores do Nordeste devem acompanhar a reunião, prevista para o próximo dia 2, em Fortaleza, entre a presidenta Dilma e os governadores da Região.

:: Assessoria do senador José Pimentel27 de março de 2013 15:39

Senadores irão com presidenta Dilma à reunião que discutirá seca

:: Assessoria do senador José Pimentel27 de março de 2013

Uma comissão composta por senadores do Nordeste deve participar da reunião que a presidenta Dilma Rousseff terá com governadores sobre a seca, no próximo dia 2, em Fortaleza (CE). A criação da comissão foi proposta na noite de ontem (26), no plenário, por senadores nordestinos, entre eles, o senador Walter Pinheiro (PT-BA) e José Pimentel (PT-CE).

Segundo Pinheiro, o agravamento da seca impõe medidas urgentes para além daquelas que já foram tomadas, a exemplo da ampliação do volume de recursos para os programas Garantia Safra e Bolsa Estiagem, perdão de dívidas dos agricultores, abertura de crédito, fornecimento de água, além de milho para consumo animal.

Ele afirmou que a seca tem atingido fortemente a Bahia e que o momento exige uma ação integrada entre todas as esferas de governo, colocando um fim à burocracia que tem dificultado o atendimento imediato.

Pinheiro citou a sugestão que apresentou ao Ministério da Agricultura para que um navio leve milho de Paranaguá (PR) ao Nordeste. “Além disso, estamos articulando que o milho destinado à alimentação de rebanhos seja enviado também por aviões, uma vez que um navio pode demorar até 25 dias para chegar”, alertou.

O senador destacou que muitas ações já estão em curso, mas o agravamento da longa estiagem torna necessário que as medidas sejam multiplicadas: “A liberação de recursos para a construção de adutoras, perfuração de poços artesianos, barragens, aguadas, enfim, são medidas que estão sendo tomadas, mas nós precisamos ampliar essa nossa capacidade de ir ao encontro do desejo do sertanejo, que quer ver solução para resolver esse grave problema”, disse.

Preocupado com os efeitos da maior seca dos últimos 50 anos, Pimentel sugeriu a data de 2 de abril para o encontro. “Precisamos ter uma reunião formal do Congresso com a nossa presidenta da República, antes de sua ida ao Nordeste para a reunião da Sudene, no dia 2 de abril. Vamos discutir a gravidade da seca e sugerir um conjunto de ações a serem efetivadas”, propôs Pimentel.

José Pimentel também propôs que o governo amplie os meios de transporte do milho para o interior do Nordeste. Ele elogiou a Medida Provisória 587, que autoriza a Conab a comprar 550 toneladas do cereal para os produtores nordestinos, mas disse que o transporte apenas por via terrestre é insuficiente.

“Chegam ali alguns caminhões de milho e o estoque está desaparecendo. Nós teríamos de utilizar o transporte aéreo e o marítimo para que pudéssemos ter o milho em quantidade suficiente. Vários criadores de aves estão tendo de abater suas matrizes, porque não têm mais ração para alimentá-las”, disse o senador. Ele também lamentou o fato de que grande parte do rebanho tenha morrido e que milhões de pessoas já não tenham água para beber.

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA) também se manifestou e abriu a possibilidade de mudança da promulgação da PEC dos trabalhadores domésticos, agendada também para o próximo dia 2 de abril, para que os 27 senadores que representam o Nordeste possam comparecer em peso na reunião com Dilma. O encontro deve contar também com todos os governadores dos estados que fazem parte da área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

A expectativa é que a presidenta Dilma lance medidas concretas contra os efeitos da seca no Nordeste na reunião da Superintendência para o Desenvolvimento do Nordeste (Sudene). O encontro será no Centro de Eventos de Fortaleza, na próxima terça-feira (2/4), às 10h da manhã.

Com informações das Assessorias de Imprensa dos senadores Walter Pinheiro e José Pimentel

Foto: Agência Brasil

 

Leia mais:

Efeitos da seca serão alvo de mais ações do Governo Federal

Relatório de Pinheiro garante socorro à vítimas de desastres ambientais

Humberto: “estamos mais próximos da transposição do São Francisco”

 


Leia também