Taxa de desemprego cai para 9,8% em outubro

:: Da redação27 de novembro de 2013 19:28

Taxa de desemprego cai para 9,8% em outubro

:: Da redação27 de novembro de 2013

Recuo, pelo terceiro mês consecutivo, foi apontado pela Pesquisa Dieese/Seade.
 

A taxa de desemprego recuou de 10,2% em setembro para 9,8% em outubro no conjunto das seis regiões onde a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED) é realizada. É a terceira queda consecutiva do índice. O levantamento, elaborado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIeese) e Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) foi, divulgado nesta quarta-feira (27). Em outubro do ano passado, a taxa estava em 10,4.

De acordo com a pesquisa, o total de desempregados foi estimado em 2,044 milhões de pessoas, 94 mil a menos que no mês anterior e 128 mil a menos que em outubro de 2012. A população economicamente ativa (PEA) das seis regiões ficou em 20,89 milhões de pessoas, número bastante semelhante ao do mês anterior.

Na passagem de setembro para outubro, a taxa de desemprego total diminuiu no Recife (de 14,5% para 13,5%), Salvador (de 17,8% para 17,1%), São Paulo (de 10% para 9,6%), Fortaleza  (de 7,7% para 7,3%) e Belo Horizonte (de 7,2% para 6,9%) e permaneceu relativamente estável em Porto Alegre (de 6,2% para 6,1%).

Serviços
Na comparação de outubro com setembro, o setor que mais contratou, em termos relativos, foi a indústria de transformação, com alta de 0,7% no contingente de ocupados, ou 21 mil postos a mais. Serviços veio na sequência, com 56 mil contratações, mais 0,5%. O comércio elevou o estoque de trabalhadores em 15 mil, alta de 0,4%. A construção foi o único entre os setores que computou saldo líquido de demissões, 11 mil postos, redução de 0,7%.

Renda
O rendimento médio real dos ocupados teve alta de 0,6%, para R$ 1.609.  Já o rendimento médio real dos assalariados ficou em R$ 1.620, queda de 0,6% ante o período anterior.

A massa de rendimentos dos ocupados nas regiões pesquisadas variou 1,5% em setembro, e a massa dos assalariados manteve-se relativamente estável (0,1%).

Na pesquisa do Dieese/Seade, os dados relativos à renda referem-se sempre ao mês anterior ao do levantamento.

Com informações do Dieese e das agências de notícias

Leia também