Taxa de desemprego no Brasil cai a 5,8% em maio

Segundo IBGE, esta é a menor taxa para maio desde 2002. Seis segmentos registraram alta nas contratações em maio sobre abril, com destaque para o de Educação, Saúde e Administração Pública.

:: Da redação20 de junho de 2012 03:00

Taxa de desemprego no Brasil cai a 5,8% em maio

:: Da redação20 de junho de 2012

O desemprego brasileiro caiu para 5,8% em maio, ante 6% em abril, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira (21/06). É a menor taxa para meses de maio desde 2002, quando iniciou a série histórica.

A população ocupada cresceu 1,2% em maio na comparação com abril e cresceu 2,5% ante o mesmo período do ano anterior, totalizando 22,984 milhões de pessoas nas seis regiões metropolitanas avaliadas. Já a população desocupada – 1,4 milhão de pessoas – recuou 3,3% em maio quando comparado com abril e registrou queda de 7,1% – menos 107 mil pessoas nessa condição – sobre um ano antes.

Segundo o IBGE, seis segmentos registraram alta nas contratações em maio sobre abril, com destaque para o de Educação, Saúde e Administração Pública, com alta de 2,7%. Na ponta oposta, o segmento de Construção Civil apresentou queda de 2,9% no período.

O número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado (11,2 milhões) não registrou variação na comparação com abril. Na comparação anual, houve uma elevação de 3,9%, representando um adicional de 427 mil postos de trabalho com carteira assinada.

O rendimento médio real habitual dos ocupados (R$ 1.725,60), não apresentou variação na comparação mensal e aumentou 4,9% frente a maio de 2011. A massa de rendimento real habitual (R$ 40,0 bilhões) cresceu 1,2% em relação a abril e 7,5% em relação a maio de 2011. A massa de rendimento real efetivo dos ocupados (R$ 39,6 bilhões), estimada em abril de 2012, subiu 0,7% no mês e 6,9% no ano.

Nesta semana, o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta semana que a economia brasileira crescerá com ritmo de 4% no quarto trimestre e acima de 4,5% no primeiro semestre de 2013. Para ele, esse cenário é sustentado justamente pela continuidade na geração de emprego e renda, além dos impulsos já dados pelo governo na economia.

Com agência Reuters e site do IBGE

A Pesquisa Mensal de Emprego é realizada nas regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página 

Leia também