Temer também quer dar golpe no patrimônio brasileiro, alerta Humberto

:: Da redação17 de agosto de 2016 15:35

Temer também quer dar golpe no patrimônio brasileiro, alerta Humberto

:: Da redação17 de agosto de 2016

Humberto: Ele vai dar um golpe, também, no patrimônio brasileiro, vendendo tudo o que for possívelO líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), criticou a decisão do presidente interino Michel Temer de anunciar um grande pacote de privatizações. Nos bastidores do Congresso Nacional, as informações são de que o anúncio ocorrerá do dia 25 de agosto, coincidindo com o início da votação do impeachment da presidenta afastada, Dilma Rousseff (PT), no Senado Federal.

“Esse presidente ilegítimo e sem voto não está satisfeito em dar um golpe em uma presidente honesta e proba. Ele vai dar um golpe, também, no patrimônio brasileiro, vendendo tudo o que for possível para fechar as contas que ele não será capaz de gerir”, alertou Humberto Costa.

O plano de Temer promete ser o maior projeto de privatizações já visto no Brasil. Na lista, além dos Correios, do setor energético, de transportes – como portos, aeroportos e rodovias – e a Caixa Seguridade, entraram também a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (EBSERH – que cuida dos hospitais universitários) e a Hemobras, esta última foi criada por Humberto quando esteve à frente do Ministério da Saúde.

“Além das estatais que, como já sabemos, o presidente sem voto quer vender, agora também será a vez de se ‘desfazer’ de empresas importantes criadas nos últimos 13 anos de gestão do PT. É realmente um retrocesso completo”, afirmou o senador petista.

Outras instituições na mira do atual governo, e que farão parte da lista de privatizações, são a Empresa de Planejamento e Logística S.A. (EPL), também criada por Dilma e que tem como finalidade planejar integradamente o sistema de logística no país, interligando a rede de transportes, e pôr fim a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Temer ainda tentou ter sob seu comando a EBC quando nomeou um novo presidente, mas foi obrigado a recuar por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), que reintegrou o jornalista Ricardo Melo à presidência da empresa. A equipe de Temer pretende arrecadar cerca de R$ 30 bilhões com as privatizações e concessões que o governo vai querer colocar em prática, caso a presidenta Dilma seja definitivamente afastada.

“Ele pensava que podia ir contra o estatuto da EBC. Ricardo Melo tem um mandato a cumprir, não podia ser demitido assim. O STF restaurou a lei”, afirmou Humberto.

Assessoria de imprensa do senador Humberto Costa

 

Leia mais:

Lula alerta para tentativa de reformar lei que coíbe violência contra mulher

Parlamentares temem retrocesso na luta LGBT caso golpe seja confirmado