Tombini diz que crescimento se materializa de forma gradual

O presidente do BC explicou que a visão que se tem é de recuperação do crescimento, pela sustentação da demanda doméstica, baixo desemprego e crédito em expansão.

:: Da redação5 de dezembro de 2013 18:22

Tombini diz que crescimento se materializa de forma gradual

:: Da redação5 de dezembro de 2013

Segundo o ministro, após cinco anos do pior momento da crise financeira mundial e mesmo que o cenário continue complexo, há alguns sinais positivos.

“O Banco Central está adotando as
providências para assegurar a manutenção
da estabilidade do sistema financeiro e da
economia” (Agência Brasil)

O presidente do Banco Central, ministro Alexandre Tombini, afirmou nesta quinta-feira (05), durante almoço na Febraban, que após cinco anos do pior momento da crise financeira mundial e mesmo que o cenário continue complexo, alguns sinais positivos apontam para uma “pequena luz no final do túnel”, já que o processo de normalização das condições financeiras está em curso principalmente na economia norte-americana. “O Brasil está preparado para atravessar esse período sem maiores sobressaltos e o Banco Central está adotando as providências para assegurar a manutenção da estabilidade do sistema financeiro e da economia”, afirmou.

Nesta quinta-feira, o BC divulgou a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), onde projeta que a inflação medida pelo IPCA neste ano tende a fechar em 5,82%. Essa variação já esteve maior. A taxa de câmbio deve ficar no patamar de R$ 2,30 e a taxa Selic em 9,5% ao ano. Tombini afirmou que o BC tem agido para fazer com que a inflação siga a trajetória das metas, onde o centro é 4,5% podendo subir ou cair 2%. “De junho a outubro a inflação entrou numa trajetória de queda, recuando 90 pontos base”, explicou.

Segundo ele, apesar de ter sido registrada uma contração da economia no terceiro trimestre, a visão que se tem é de recuperação do crescimento, pelo fato de que os fatores de sustentação da demanda doméstica continuam presentes; a taxa de desemprego permanece em níveis baixos e há criação de novos postos de trabalho. Ao mesmo tempo, o crédito continua em expansão e de forma sustentável. “Observamos nos últimos meses a redução da inadimplência e do comprometimento da renda das famílias. A consolidação do crescimento para os próximos semestres em bases sustentáveis depende ainda do fortalecimento das famílias e dos empresários, que já mostra recuperação”, disse.

O presidente do BC também falou sobre o êxito obtido pelo governo da presidenta Dilma Rousseff nos recentes leilões de concessão de serviços públicos. “O que observamos foi um forte interesse por essas oportunidades, inclusive de investidores estrangeiros. O resultado demonstra a atratividade da economia brasileira e a confiança desses investidores no potencial de crescimento do Brasil nos próximos anos”, afirmou, acrescentando que o mais importante é que o sucesso dos leilões de concessão de aeroportos e rodovias significa investimentos em diversos projetos que têm o potencial de criar uma nova dinâmica para o investimento privado no Brasil.

Marcello Antunes

Leia o discurso do presidente do Banco Central, Alexandre Tombini

Lei a Ata do Copom

Leia mais:

IBGE: PIB cresce 2,4% no acumulado do ano


Leia também