Wellington defende Assembleia Constituinte para votar a reforma política

:: Da redação8 de maio de 2013 22:04

Wellington defende Assembleia Constituinte para votar a reforma política

:: Da redação8 de maio de 2013

 

Para o senador, a reforma política aprofunda a
democracia e fortalece as instituições

O líder do PT no Senado, Wellington Dias (PI) destacou em pronunciamento ao plenário, nesta quarta-feira (8), a necessidade de uma reforma política para o aprofundamento da democracia e o fortalecimento das instituições. Ele lembrou que muitos dos aperfeiçoamentos reclamados pela sociedade passam por essa mudança. “Certamente, outras reformas que temos dificuldade de realizar, aqui no Congresso Nacional, dependem da reforma política”, afirmou.

Wellington destacou a campanha lançada pelo Partido dos Trabalhadores para a coleta de um milhão e meio de assinaturas que viabilizem a apresentação de um projeto de iniciativa popular instituindo o financiamento público como fonte exclusiva de recursos para as campanhas eleitorais, o voto em listas fechadas para as eleições proporcionais (vereadores, deputados estaduais e federais) e instrumentos que garantam o aumento das candidaturas de mulheres. A proposta do PT também prevê a convocação de uma Assembléia Constituinte exclusiva para reformular o sistema político brasileiro. 

“Defendemos o fortalecimento dos partidos, a valorização do programa, dos projetos, das propostas e a condição do partido como aquele que detém a força sobre o mandato”, afirmou Wellington. Ele elogiou o artigo do presidente nacional do PT, deputado Rui Falcão, publicado nesta quarta-feira pela Folha de S. Paulo, apresentando a posição do partido sobre a reforma política. “Precisamos avançar. Sabemos que não é uma reforma simples de ser feita, que depende de entendimentos nas duas Casas”, avaliou.

O líder enfatizou a necessidade de o País adotar o “financiamento transparente, público e exclusivo de campanha” e o voto em lista partidária como mecanismos de barateamento das campanhas eleitorais e de valorização dos projetos políticos e programas partidários. No modelo atual, “cada candidato é uma campanha”, o que encarece as disputas e enseja desvios éticos ou a contaminação dos mandatos pelos interesses do poder econômico.

Para Wellington, a convocação de uma Constituinte exclusiva para redesenhar o sistema político brasileiro permitirá um debate mais profundo, com a participação das representações das diversas correntes de pensamento existentes na sociedade. “Quero conclamar, como Líder do Partido dos Trabalhadores, os filiados e filiadas de todo o Brasil, para que possamos fazer essa coleta de assinaturas”. O processo é simples: basta assinar o documento, acrescentando o título de eleitor, explicou.

O senador informou ainda que, na mesma direção do PT, diversas entidades e movimentos sociais também estão iniciando uma mobilização pela reforma política e coletando assinaturas para a apresentação de um projeto de lei de iniciativa popular que também prevê o financiamento público de campanha.

Cyntia Campos

Leia mais:
Rui Falcão conclama sociedade por adesão à campanha da reforma política

PT dá início à coleta de assinaturas para a reforma política

Leia também