Acre: investimento em agricultura é “segunda revolução”

Aníbal elogia destinação de R$ 95 milhões para a agricultura familiar acriana na safra de 2012/13.

:: Da redação27 de agosto de 2012 22:32

Acre: investimento em agricultura é “segunda revolução”

:: Da redação27 de agosto de 2012

O senador Aníbal Diniz (PT-AC) elogiou a decisão do Ministério do Desenvolvimento Agrário de destinar R$95 milhões para a agricultura familiar do estado do Acre, para a safra deste ano. Em discurso ao Plenário na tarde desta segunda-feira, ele destacou que o investimento tem foco em dois grandes objetivos: a organização econômica e a sustentabilidade. “Essa é uma segunda revolução no Acre, porque o gaúcho José Plácido de Castro fez a primeira revolução ao conquistar as terras do Acre para o Brasil”, afirmou.

Aníbal também destacou o esforço do governo do Acre na promoção da mecanização agrícola e do fortalecimento do setor produtivo. Dos R$95 milhões destinados ao Acre, R$85 milhões serão utilizados em ações do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf. Esse total é R$15 milhões superior ao previsto para o Plano Safra da Agricultura Familiar 2011/2012. Dos R$85 milhões, R$40 milhões serão utilizados para investimentos em máquinas e equipamentos e R$45 milhões para o custeio da produção, incluindo semente e adubo. As operações de crédito para o agricultor familiar terão juros subsidiados entre 0,5% e 4% ao ano.

“Além do crédito aos produtores familiares, serão cerca de R$5 milhões nessa safra para financiar serviços de assistência técnica e extensão rural. Parte desse valor vai para as famílias que vivem em extrema pobreza”, lembrou Aníbal. No Acre, 85% dos estabelecimentos rurais são de agricultores familiares. São 25.187 famílias vivendo da produção agrícola do arroz, do feijão, da macaxeira, do milho, do leite, da criação de pequenos animais e aves. “Com o complexo da suinocultura, implantado pelo governo estadual, muitos agricultores vão aderir à produção de porcos”, afirmou o senador.

“Somados aos extrativistas, que vivem da castanha e da borracha, e dos pescadores e piscicultores, que também formam um importante segmento produtivo do Estado, temos mais de 82 mil pessoas trabalhando no setor produtivo, o que representa 83% da mão de obra ocupada no meio rural e na floresta. Nossos produtores rurais são responsáveis por 81% da produção estadual”

Veja a íntegra do discurso do senador Aníbal Diniz

Leia também