Atuação em presídios desvirtua forças armadas, diz Falcão

:: Da redação23 de janeiro de 2017 16:17

Atuação em presídios desvirtua forças armadas, diz Falcão

:: Da redação23 de janeiro de 2017

O presidente nacional do PT, Rui Falcão afirmou que a recente decisão de Michel Temer em decretar a utilização de tropas do Exército para atuar em presídios rebelados desvirtua o papel constitucional das Forças Armadas – a defesa da soberania nacional e a segurança do País em casos de predadores internacionais, como ocorre atualmente com a entrega do pré-sal.

“Colocar o Exército para vigiar presídios, utilizar soldados como guardas de presídios ou carcereiros, aumenta a desmoralização do governo usurpador”, lamenta.

Em outro ponto do artigo, Rui Falcão avalia que apenas o esclarecimento à população poderá conter a sangria entreguista do governo surgido do golpe e substituí-lo por eleições livres e diretas.

 

Leia a íntegra do artigo:

Convocação desvirtua papel das forças armadas

Disse o presidente golpista em entrevista recente, para provocar impacto midiático, que tomara uma decisão “ousada” ao decretar a utilização de tropas do Exército para atuar nos presídios rebelados. Como ele utilizou a palavra “acidente” no caso das chacinas de prisioneiros, estendendo o significado da palavra a “desastre”, é bom substituir o significado de “coragem”, que ele se auto atribuiu, por “falta de reflexão”, “imprudência” ou “temeridade”…

Mais que um jogo de palavras, porém, colocar o Exército para vigiar presídios, utilizar soldados como guardas de presídios ou carcereiros, aumenta a desmoralização –- como se fosse possível — do governo usurpador. Pior: desvirtua o papel das Forças Armadas, cuja missão constitucional, entre outras é defender a segurança do País e a soberania nacional, em caso de guerra ou de predadores internacionais, como os que atualmente vêm pilhando terras, riquezas e outros ativos brasileiros sem que os desavisados percebam.

Do Pré-Sal já estão levando uma parte, depois da Lei Serra e dos leilões ofertados pelo presidente da Petrobrás, o mesmo Pedro Parente que serviu aos governos tucanos.

A proibição de venda ilimitada de terras para estrangeiros já está sendo aliviada; a regulação das teles e do regime de concessões muda para favorecer grandes grupos daqui e do exterior. As companhias aéreas poderão ficar 100% com grupos internacionais. E, por fim, até as redes digitais dos aeroportos estão em vias de migrar para grupos privados estrangeiros.

Para conter a sangria entreguista, é preciso esclarecer a população, mobilizá-la contra os lesa-pátria e substituir, através de eleições livres e diretas, o governo ilegítimo de Temer & Cia. Ilimitada.

P.S. – É preciso investigar em profundidade o acidente que vitimou o ministro do STF Teori Zavaski e as outras quatro pessoas que o acompanhavam no voo fatídico.

Leia também