Dia Nacional de Lutas

Povo nas ruas em defesa de direitos e contra governo Temer

“Seremos a resistência. Precisamos do povo na rua para mostrar ao governo que a população não concorda com a retirada de direitos. Não podemos concordar com isso”, afirma a senadora Gleisi Hoffmann
:: Rafael Noronha15 de março de 2017 15:20

Povo nas ruas em defesa de direitos e contra governo Temer

:: Rafael Noronha15 de março de 2017

O Dia Nacional de Luta convocado para este 15 de março tomou conta do País. Manifestações de trabalhadores ocuparam cerca de 25 estados e uma infinidade de municípios pelo interior do País. As pautas prioritárias do movimento convocado para o dia de hoje são  a defesa da democracia e o combate a retirada de direitos presente em diversas propostas apresentadas pelo atual governo.

Logo no início da manhã, manifestantes ocuparam a sede do Ministério da Fazenda, órgão que agora abriga a estrutura do antigo Ministério da Previdência Social. Cerca de 15 mil manifestantes, das mais diversas categorias de trabalhadores, participaram da manifestação, desde cedo.

Em represália ao grande movimento nacional, o governo tentou dar um golpe no plenário do Senado Federal. No final da tarde, tirou da cartola, sem passar pelo Colégio de Líderes, um projeto do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) que proíbe o direito de greve no serviço público.

Veja abaixo, a denúncia:

Marco Antônio Baratto, do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) explica que a ocupação do Ministério mostra a insatisfação dos cidadãos com o texto da Reforma da Previdência em análise no Congresso Nacional.  Também segundo ele, a manifestação é uma forma de apoiar a greve geral da educação coordenada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Educação (CNTE). “Nosso objetivo é manter o ministério ocupado, fazer a conexão com todos os atos pelo País e denunciar o avanço do governo neoliberal, ilegítimo e golpista de Michel Temer”, explicou.

Em sua visita a ocupação do Ministério da Fazenda, a líder do PT no Senado, Gleisi Hoffmann (PR) afirmou aos manifestantes que as bancadas do PT e de Oposição no Senado serão a voz das ruas dentro do Parlamento. “Seremos a resistência. Precisamos do povo na rua para mostrar ao governo que a população não concorda com a retirada de direitos. Não podemos concordar com isso”, enfatizou.

O líder da Oposição no Senado, Humberto Costa (PT-PE) disse ter de que as mobilizações têm a capacidade de enterrar em

definitivo a proposta de reforma da previdência que coloca nas costas dos trabalhadores mais pobres os compromissos assumidos por aqueles que assumiram o poder ao golpear uma presidenta legítima e honesta.

“Esses atos vão influenciar de forma decisiva as discussões no Congresso em torno da reforma. Se ampliarmos essa mobilização até dia da votação na Câmara, essa reforma não passa nem pela Câmara. Só conseguiremos isso com a luta e o esclarecimento de todos os trabalhadores”, afirmou.

Já o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) avalia que a situação do atual governo tem se deteriorado rapidamente apesar das falsas promessas de recuperação econômica e política com a conclusão do impeachment.

“Os planos de austeridade estão aumentando o desemprego da população. Eles sabem que quem ficar colado com Temer na reforma da Previdência vai morrer politicamente nas eleições de 2018. O dia de hoje é uma demonstração de que podemos avançar para a realização de uma greve geral pedindo a saída de Temer da Presidência da República”, disse Lindebergh.

O Dia Nacional de Luta foi convocado pelas seis maiores centrais sindicais do Brasil (CUT, UGT, CTB, Força Sindical, CSB e Nova Central) e por movimentos sociais como a Frente Brasil Popular e Povo Sem Medo.

Em São Paulo haverá uma manifestação no vão livre do Masp a partir das 16 horas. A expectativa é que o presidente Lula compareça ao evento. Além disso, os trabalhadores das empresas de ônibus e do serviço metroviário funcionaram de forma parcial pela manhã.

No Rio de Janeiro manifestantes interromperam parcialmente o trânsito na região portuária e da Avenida Brasil nesta manhã.

 

MULTIMÍDIA

Ouça reportagem da Rádio Democracia sobre o tema:

 

Veja fotos das manifestações pelo País (imagens do Mídia Ninja e Brasil de Fato):

 

Senadores discursam durante ato em Brasília:

 

Reprodução autorizada mediante citação do site PT no Senado

Leia também