Pandemia

Brasil ultrapassa 10 mil mortes e senadores criticam desprezo de Bolsonaro

A primeira morte provocada pelo novo coronavírus no Brasil foi registrada há menos de dois meses, no dia 17 de março
:: Rafael Noronha11 de maio de 2020 16:16

Brasil ultrapassa 10 mil mortes e senadores criticam desprezo de Bolsonaro

:: Rafael Noronha11 de maio de 2020

O Brasil ultrapassou a infeliz marca de 10 mil vítimas fatais da Covid19 no último final de semana. O marco fez com que o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal (STF) decretassem luto oficial de três dias. Por esse período, a Bandeira Nacional e a do Mercosul permanecerão hasteadas em funeral, a meio mastro.

A primeira morte provocada pelo novo coronavírus no Brasil foi registrada há menos de dois meses, no dia 17 de março, em São Paulo. O país tinha 291 casos registrados.

“O Congresso Nacional do Brasil decreta luto oficial de três dias pelos mais de 10 mil brasileiros vítimas fatais da COVID-19 no País. A Bandeira Nacional, em frente ao Palácio do Congresso Nacional na Esplanada será hasteada a meio mastro. Prestamos nossa solidariedade às famílias dos mais de 10 mil brasileiros que foram vítimas desta pandemia e da insensibilidade de um presidente que não sabe o que é amor à vida”, lamentou o senador Rogério Carvalho (SE), líder da bancada.

Os senadores criticaram o desprezo que Jair Bolsonaro tem demonstrado com relação às vítimas da pandemia. No último sábado, ele foi visto passeando de jet ski pelo Lago Paranoá. Além disso, Bolsonaro provocou aglomerações em diversas oportunidades em passeios por cidades de Brasília e Goiás.

“O único que não leva o coronavírus a sério no Brasil é Jair Bolsonaro. Perdemos 10 mil brasileiros em menos de dois meses para a doença enquanto o chefe do Executivo do país foi às ruas todo dia”, criticou o senador Humberto Costa (PT-PE).

“No dia em que o Brasil ultrapassou a marca das 10 mil mortes por coronavírus, fora os casos subnotificados, o presidente desfilou de jet ski e desdenhou do isolamento. É o cúmulo da irresponsabilidade e do desprezo com as vidas de brasileiros e brasileiras”, enfatizou o senador Jaques Wagner (PT-BA).

“O Congresso Nacional presta condolências e decreta luto de três dias em razão aos 10 mil brasileiros e brasileiras mortos pelo Covid-19. Enquanto isso, Bolsonaro passeia de jet ski. Desrespeito ultrapassando limites”, apontou Jean Paul Prates (PT-RN).

O senador Paulo Paim (PT-RS) mostrou preocupação com a letargia do governo na orientação e adoção de medidas mais efetivas de proteção a população brasileira diante do avanço do vírus pelo País.

“Pagaremos caro pelo desprezo às medidas restritivas de proteção. Se continuar assim, teremos uma 2ª onda de infecção. Essa falta de iniciativa do governo para responder com seriedade e humanidade à crise na saúde, no emprego e na renda tornou o Brasil um sério problema para toda a América Latina”, disse.

O senador Paulo Rocha (PT-PA) se solidarizou com as famílias das vítimas da Covid-19. “Neste momento, não vou apontar culpados. Quero me solidarizar com milhares de famílias e amigos das mais de 10 mil vidas perdidas para a Covid-19 no Brasil. Não há palavras que possam confortar neste momento de dor. É terrivelmente triste o que vivemos. Meus sentimentos”, finalizou.

Nas últimas semanas, os registros oficiais de mortes diárias aumentaram constantemente. De 115 óbitos confirmados em 10 de abril, passamos para 217 mortes em um dia em 17 de abril. Uma semana depois, no dia 21, eram 357 mortes confirmadas em um dia. Mais uma semana, no dia 28 de abril, o registro era de 428 mortes em 24 horas. E na última sexta-feira (8), chegamos ao recorde de 751 mortes em 24 horas.

Leia também