Educação ambiental para agricultura familiar

:: Da redação28 de março de 2012 13:57

Educação ambiental para agricultura familiar

:: Da redação28 de março de 2012

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) lança nesta quarta-feira (28/03) o Programa de Educação Ambiental para Agricultores Familiares (PEAAF), durante o VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, que acontece em Salvador, até o próximo dia 30.

O PEAAF é resultado de reivindicação do Grito da Terra, marcha dos trabalhadores rurais realizada anualmente em Brasília, promovido pela Confederação Nacional da Agricultura (Contag) desde 2009. Por meio de ações educativas articuladas entre setores do governo e da sociedade, o programa busca a construção coletiva de estratégias para o enfrentamento da problemática socioambiental do meio rural.

O programa resgata os preceitos da Política Nacional de Educação (Pnea) ao fomentar processos educativos que fortaleçam uma consciência crítica sobre a problemática ambiental e social. “No PEAAF, trabalhamos temas como participação social, agroecologia, práticas produtivas sustentáveis, tecnologias sociais, impactos da agricultura contemporânea sobre o meio ambiente, relação campo-cidade, recuperação de áreas degradadas e legislação ambiental”, explica Adriana Chaves, técnica da equipe de coordenação do programa e organizadora das rodas de conversa.

O objetivo final é contribuir para a sustentabilidade dos agroecossistemas e para a melhoria da qualidade de vida dos agricultores familiares do País. “Pretendemos estabelecer um diálogo mais direto com os produtores rurais familiares e lideranças sindicais para uma produção sustentável no campo” afirma o diretor do Departamento de Educação Ambiental (DEA) do MMA. “O conteúdo do curso é construído em conjunto, já que muitas das soluções para a produção agrícola familiar sustentável já são praticadas por eles”.

O programa é destinado a agricultores e jovens agricultores familiares de ambos os sexos, assentados e acampados da reforma agrária, comunidades tradicionais, extrativistas e pescadores. Também participam sindicatos; cooperativas; organizações e movimentos sociais do campo; agentes de Ater (Assistência Técnica e Extensão Rural); professores e estudantes de instituições públicas de ensino superior e da educação básica; membros de grupos de aprendizagem, pesquisa e extensão; membros de conselhos, comissões e colegiados públicos.

A estratégia de implementação do programa passa por cinco etapas: articulação com órgãos, políticas, planos e programas federais; apoio à elaboração e implementação das ações nos estados; educação à distância e semi presencial, e fomento de projetos de educação ambiental (EA) com agricultura familiar.

A agricultura familiar envolve mais de 4 milhões de estabelecimentos e 12,3 milhões de pessoas no Brasil, segundo o último censo agropecuário (2006). Entre os alimentos que chegam às mesas dos brasileiros, 87% da mandioca, 70% do feijão, 59% dos suínos, 58% do leite, 50% das aves e 46% do milho provem da agricultura familiar. Nos dois dias do fórum em Salvador, haverá rodas de conversa entre educadores e agricultores, para apresentar o programa e esclarecer dúvidas.

Ministério do Meio Ambiente

 

Leia também