Fátima Bezerra denuncia: A continuação do golpe de Estado

:: Da redação16 de setembro de 2016 17:49

Fátima Bezerra denuncia: A continuação do golpe de Estado

:: Da redação16 de setembro de 2016

Fátima: espetáculo farsesco também teve como objetivo enfraquecer as candidaturas do PT e da esquerda há menos de 20 dias das eleições municipaisNa última quarta-feira, testemunhamos mais um episódio lamentável que atenta contra a Constituição e o Estado de Direito, além de desrespeitar a inteligência da população brasileira. Consumado o golpe de Estado que afastou do poder uma presidenta democraticamente eleita sem que ela tenha cometido crime de responsabilidade, setores conservadores do poder judiciário protagonizaram um espetáculo que mancha a história do Ministério Público, uma instituição de extrema importância para a democracia brasileira, construída com o trabalho sério de servidores públicos que não concordam com a instrumentalização política do poder judiciário.

Diante das câmeras da grande mídia empresarial, o ex-presidente Lula foi vítima de acusações gravíssimas, embasadas única e exclusivamente na convicção política de um procurador que confessou não ter provas para fundamentar suas acusações. Como se não bastasse o golpe de Estado consumado dia 31 de agosto no Senado Federal, como se não bastasse a agenda de retirada de direitos implementada pelo governo ilegítimo, o consórcio golpista deseja agora destruir a biografia da principal liderança do povo brasileiro e impedir que ele seja candidato a presidente nas eleições de 2018. Ademais, o espetáculo farsesco também teve como objetivo enfraquecer as candidaturas do PT e da esquerda há menos de 20 dias das eleições municipais, no momento em que as candidaturas associadas aos partidos golpistas perdiam espaço nas disputas político-eleitorais.

Há bastante tempo a vida do ex-presidente Lula e de sua família vem sendo devassada, sem que tenha sido encontrada uma só prova de qualquer ilícito. Lula já se colocou à disposição do Ministério Público, da Polícia Federal e da justiça brasileira para dirimir quaisquer dúvidas e fazer os esclarecimentos que forem necessários, mas mesmo assim continua sendo vítima de uma perseguição implacável, de caráter nitidamente político.

Mas não é a primeira vez que Lula é vítima de uma injustiça, não é a primeira vez que tentam destruir um dos mais importantes partidos de esquerda da América Latina e instituir o pensamento único. O espetáculo de mau gosto pautado pela seletividade, parcialidade e contaminado politicamente não contribui para o fortalecimento das instituições democráticas do Estado de direito, muito pelo contrário.

Não podemos banalizar o uso de determinadas palavras, a exemplo da palavra convicção. Somente com muita convicção foi possível construir, virada a página da ditadura civil-militar, um partido de milhares de trabalhadores, intelectuais, artistas e lideranças religiosas ligadas à teologia da libertação. Somente com muita convicção foi possível eleger e reeleger o primeiro operário presidente do Brasil, retirar o Brasil do Mapa da Fome e fazer as pessoas mais pobres acreditarem que também têm direito de ser cidadãos. Somente com muita convicção foi possível eleger e reeleger a primeira mulher presidenta do Brasil, democratizar a universidade pública e garantir moradia digna para mais de 6 milhões de brasileiros. Temos provas cabais do nosso legado e temos muita convicção. Uma convicção que não permitirá nenhuma farsa destruir a nossa história, que nos dará forças para enfrentar toda e qualquer injustiça, que nos dará coragem para seguir lutando em defesa da democracia e dos direitos sociais.

Senadora Fátima Bezerra para o NOVO Jornal, edição impressa 16 de setembro 2016