Gleisi reclama (com razão) que êxito das Olimpíadas não é dos golpistas

:: Da redação15 de agosto de 2016 20:22

Gleisi reclama (com razão) que êxito das Olimpíadas não é dos golpistas

:: Da redação15 de agosto de 2016

Aos golpistas não basta a tentativa de ocupar a Presidência da República na mão grande, nem detalhar um programa de governo interino com medidas que ultrapassam mandatos inteiros de presidentes que ainda serão eleitos, muito menos dedicarem-se a destruir todo o legado de avanços sociais alcançados pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela presidente afastada Dilma Rousseff. Para os golpistas, trata-se de usurpar inclusive o que é mérito alheio, como é o caso da realização das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

 

Não bastou a estrepitosa vaia recebida pelo traidor Michel Temer na cerimônia de abertura, nem sequer a censura imposta aos manifestantes contra o golpe – o que se pretende é tirar dos governos do PT os bons resultados que o Brasil está colhendo no exterior, onde a avaliação generalizada é de que os temores de caos, colhidos na imprensa brasileira, não se confirmaram e que a organização do evento está sendo impecável.

No artigo abaixo, a senadora Gleisi Hoffmann descreve os detalhes de quem estava nos bastidores que garantiram a realização e o êxito das Olimpíadas. 

Olimpíadas, mais uma aposta de sucesso dos governos Lula e DilmaGleisi Hoffmann 

Assistindo às Olimpíadas me vem com força à cabeça a expressão agourenta “imagina na Copa”, tão usada pra desacreditar o governo na época e, logo em seguida, a recomendação determinada da presidenta Dilma Rousseff, quando assumi a Casa Civil, em 2011, de que devíamos preparar os eventos internacionais no Brasil para que fossem um sucesso. E todos foram! 

Acompanhei essa mulher por praticamente três anos e neste período a vi coordenar com zelo, dedicação e preciosismo, não só a preparação dos eventos externos, mas também as políticas de sucesso que sempre marcarão nossa história de atendimento ao povo brasileiro: Minha Casa Minha Vida, Brasil sem Miséria, Mais Médicos, Super-Creches, Ciência sem Fronteiras, Programa de Investimento em Logística (PIL), Pronatec, Casa da Mulher Brasileira, enfrentamento à maior seca que tivemos nos últimos 50 anos, estruturação de ações para enfrentar Desastres Naturais, e muitos outros programas. 

Mas hoje quero falar da preparação dos grandes eventos internacionais que o Brasil se comprometeu a receber, organizar e realizar: Rio +20, Visita do Papa, Copa do Mundo e Olimpíadas. Todos foram de muito sucesso e orgulharam o Brasil. Alguns analistas chegam a dizer que o Brasil “surpreendeu”. Só acha isso quem não reconhece a grandeza de nosso país e não acompanhou o esforço empreendido, tanto por Lula, quanto por Dilma, para garantir esses eventos e mostrar ao mundo a capacidade, competência e belezas do Brasil. 

Tudo foi milimetricamente pensado, estruturado pela equipe de governo e acompanhado pessoalmente pela presidenta. Desde a modernização dos aeroportos, que hoje não deixam a desejar para nenhum dos países de primeiro mundo, até a recepção dos estrangeiros e cerimônias de abertura que, como a das Olimpíadas embeveceram o mundo. Tenho certeza que teve o dedo de Dilma, até por saber que foi Abel Gomes um dos organizadores, o mesmo que ajudou a preparar o show da Rio + 20 para os chefes de Estado. Na época recebemos cerca de cem deles em nosso país. 

Parabéns Dilma! Parabéns Lula! Comemoramos quando o mundo decidiu que os eventos seriam aqui. Temos de comemorar quando eles encerram e mostram o sucesso da organização dos seus governos. Comemorar o incentivo aos atletas brasileiros, que tiveram centros de treinamentos, bolsa atleta, preparo técnico, para disputarem as provas olímpicas. 

É uma pena que as Olimpíadas ocorram no mesmo momento em que um golpe contra a democracia esteja em curso no Brasil, ofuscando o trabalho grandioso de seu governo, presidenta. Pior ainda, a tentativa para que os jogos sejam usados para tentar abafar o golpe, amortecendo o espírito crítico do povo brasileiro, tirando sua atenção e resistência do que está se preparando a partir do dia 25 de agosto: seu julgamento por um Senado comprometido com denúncias, hipócrita e não confiável pela maioria da população, como mostram pesquisas. 

Vamos resistir e denunciar. Muitas manifestações populares mostraram isso durante as Olimpíadas. O Fora Temer virou uma expressão popular. Estamos e vamos continuar trabalhando muito para impedir essa atrocidade contra nossa Constituição, a democracia e a primeira mulher eleita para governar esse país. Assim como temos certeza absoluta de que o legado dessas ações ecoará na história com os nomes dos governantes legitimamente eleitos pelo povo brasileiro: Lula e Dilma! 

 

Gleisi Hoffmann é senadora da República pelo Paraná. Foi ministra-chefe da Casa Civil e diretora financeira da Itaipu Binacional.

Leia também