combate as armas

Humberto critica derrame de armas no país e pede cassação de decreto

Mais de R$ 150 milhões em revólveres e pistolas entraram em território nacional no ano passado vindos do exterior
:: Assessoria do senador Humberto Costa17 de março de 2021 10:17

Humberto critica derrame de armas no país e pede cassação de decreto

:: Assessoria do senador Humberto Costa17 de março de 2021

O crescimento de 2.656% na importação de armas estrangeiras pelo Brasil em 2020 levou o senador Humberto Costa (PT-PE) a pedir ao presidente do Senado que vote imediatamente o projeto da bancada do PT para a cassar decreto de Jair Bolsonaro que facilitou o derrame de armas de fogo no país. Presidente da Comissão de Direitos Humanos da Casa, Humberto considera o fato uma grave ameaça à democracia.

Segundo dados do Ministério da Economia, mais de US$ 29,3 milhões – ou R$ 150 milhões – em revólveres e pistolas entraram em território nacional no ano passado vindos do exterior. É a maior média da série histórica, iniciada em 1997. Nesse cenário, o Brasil já importa, atualmente, mais armas letais do que bicicletas ou lápis. O volume tem crescimento ininterrupto desde 2017. Por duas décadas, a média anual de importações desses produtos girou em torno de US$ 1,1 milhão.

 Nós não temos vacinas no país porque o presidente da República se recusou a comprar. O resultado disso é um recorde consecutivo de mortes pela Covid, que vemos todos os dia”.

“No entanto, estamos importando armas de fogo como nunca, o Brasil vivendo um verdadeiro derrame de armas letais. Isso é um risco para a democracia. O que está havendo é o armamento de uma parcela da população civil, é o armamento de milícias para atender aos interesses de Bolsonaro e seu grupo”, disse.

O senador lembrou que, no último domingo, quando apoiadores de Bolsonaro foram às ruas de algumas cidades contra as medidas de isolamento social, um homem foi visto dirigindo um carro em Brasília portando um fuzil.

Confira a íntegra da matéria

Leia também