Mantega: crescimento está sendo puxado pelo investimento

O ministro comemorou o índice do Banco Central. “Significa que a economia estaria crescendo próximo de 4%”.

:: Da redação16 de maio de 2013 21:23

Mantega: crescimento está sendo puxado pelo investimento

:: Da redação16 de maio de 2013

Ao comemorar o índice de atividade econômica divulgado pelo Banco Central, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que o crescimento no primeiro trimestre do ano foi puxado pelo investimento e pela indústria de transformação. “Se isso de fato aconteceu, significa que a economia estaria crescendo próximo de 4%. E o mais importante é a qualidade do crescimento. Que está sendo capitaneado pelo investimento”, disse Mantega, na portaria do Ministério da Fazenda, ao sair do prédio.

Divulgado nesta quinta-feira, o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), “prévia” criada pelo BC para antecipar a tendência do Produto Interno Bruto (PIB), indicou uma expansão de 1,05% no primeiro trimestre do ano, em relação ao quarto trimestre de 2012, na série com ajustes sazonais.

Outro bom desempenho apontado pelo ministro foi a atividade industrial. “O investimento foi o que mais cresceu neste período, seguido pela indústria de transformação. Serviços deve ter crescido um pouco menos. Então, não se pode dizer que estamos crescendo puxados pelo consumo”.

Mantega, no entanto, não quis dar previsões para o resultado da economia no primeiro trimestre. “Em primeiro lugar, nós temos que esperar o dado definitivo. As previsões do mercado estão em torno de 1%, mas eu prefiro esperar para saber. De qualquer forma, eu já sei que o investimento está crescendo a uma a taxa elevada e a indústria, já sabemos, cresceu 1,5% ou 0,8%, juntando com a extrativa”.

Inflação
Guido Mantega voltou a dizer que a inflação começou a ceder e que os preços vão continuar caindo nos próximos meses, principalmente para os alimentos. “Estamos no caminho certo. A inflação vai cair nos próximos meses”, ressaltou.

O ministro citou o resultado do Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S) – que desacelerou de 0,45% para 0,38% na segunda semana de maio – como um dos dados que comprovam o arrefecimento da inflação. “O mais importante é que a inflação está caindo. O IPC-S dessa semana mostra que o custo dos alimentos está cedendo e isso é muito bom, porque vai eliminar um problema que nós vivemos nas últimas semanas”, disse.

Para Guido Mantega, a nova safra vai contribuir para a queda no preço dos alimentos, que nos últimos meses puxou para cima o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

Com informações de agências online

Leia também