corrupção

Novas acusações a Bolsonaro aprofundam a crise

Bancada do PT no Senado condena conduta do presidente da República, envolvido em mais um escândalo de desvio de recursos, e diz que processo de impeachment precisa ser aberto imediatamente
:: Olímpio Cruz5 de julho de 2021 18:21

Novas acusações a Bolsonaro aprofundam a crise

:: Olímpio Cruz5 de julho de 2021

O mais novo escândalo de desvio de recurso públicos envolvendo o presidente Jair Bolsonaro tornam insustentável a sua permanência à frente do governo. Reportagem do UOL traz gravações inéditas apontando o envolvimento direto de Bolsonaro em crimes de peculato. Ele participou ativamente no esquema ilegal de rachadinha quando era deputado. Bolsonaro obrigava a entrega de salários de assessores na época em que ele exerceu seguidos mandatos na Câmara dos Deputados. Quem faz a denúncia é a ex-cunhada do presidente.

Para a bancada do PT no Senado, a situação agrava o clima de incerteza política e amplia a crise de governabilidade, tornando a Presidência da República fragilizada por Bolsonaro. “Com mais um escândalo de Bolsonaro vindo à tona, agora o das rachadinhas, a governabilidade se tornou impossível”, diz o líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PA). “O presidente podia fazer um favor à nação e renunciar para tentarmos reerguer o país da lamaçal que o ex-militar nos jogou”.

Ele diz que Bolsonaro construiu a narrativa de ser ‘incorruptível’ para a sua militância, mas os fatos o derrubaram do pedestal da moralidade. “Só resta agora o mito, ou melhor, a mentira fabricada que, em breve, será retirada da cadeira de presidente pelo impeachment ou pelo voto popular”, destaca. O líder da Minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT-RN), também considera que Bolsonaro não tem mais como se manter à frente do Planalto. “Nunca foi pelo povo. Sempre foi apenas por dinheiro”, criticou.

O senador Humberto Costa (PT-PE), que integra a CPI da Covid no Senado, disse que as revelações trazidas pelo UOL são muito graves. “É áudio da ex-cunhada implicando Bolsonaro em crimes de desvio de dinheiro público é devastador”, avalia. “Queiroz e esposa também foram flagrados falando sobre o esquema sujo de rachadinha no gabinete de Bolsonaro”, condena, citando o ex-assessor do presidente, o militar aposentado Fabrício Queiroz.

“Tudo indica que a suspeita não é apenas no roubo do dinheiro das vacinas”, reforça o senador Rogério Carvalho (PT-SE). “Bolsonaro também roubava salários de assessores, segundo a ex-cunhada do presidente”. Para o parlamentar o rótulo de honestidade de Bolsonaro caiu. “O Brasil foi enganado. Bolsonaro fez negócios com o sofrimento das pessoas. Denúncias expõem o cinismo e a covardia dele com o povo brasileiro. Enquanto isso, milhares de vidas são perdidas”, disse.

Humberto Costa disse que o silêncio de Bolsonaro é comprometedor. Ele observa que, passados 10 dias das revelações de que o presidente da República recebeu a denúncia de irregularidades no Ministério da Saúde, Bolsonaro não falou nada. “Vocês notaram que faz mais de sete dias que o deputado Luis Miranda acusou Bolsonaro de prevaricação e ele, que é acostumado a xingar os outros de todo tipo de impropério, não teve coragem de dizer uma só palavra desairosa ao seu acusador?”, questionou o senador. “Bolsonaro está com medo de ter sido gravado”.

Leia também