ONU e Prefeitura de São Paulo firmam parceria contra homofobia

:: Da redação28 de abril de 2014 15:59

ONU e Prefeitura de São Paulo firmam parceria contra homofobia

:: Da redação28 de abril de 2014

Campanha Livres e Iguais busca promover respeito aos direitos da população LGBT

Iniciativa, lançada nesta segunda-feira (28), na
semana da Parada do Orgulho LGBT, busca fim
da discriminação

A Organização das Nações Unidas (ONU) lança, nesta segunda-feira (28), em São Paulo, uma campanha para promover a igualdade e o respeito aos direitos da população LGBT, segmento que reúne lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais. A Campanha Livres e Iguais é uma parceria com a prefeitura de São Paulo e faz parte das atividades do Mês do Orgulho LGBT de São Paulo.

A intenção é aumentar a conscientização das pessoas sobre a gravidade da violência e da discriminação homofóbica e transfóbica, além de promover o respeito pelos direitos da população LGBT. Segundo a prefeitura, a campanha vai defender a necessidade de reformas legais e na educação pública para o combate à homofobia.

Criada pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (Acnudh) em parceria com a Fundação Purpose, a iniciativa foi lançada mundialmente em julho do ano passado e chega agora ao Brasil. Além da campanha, a ONU lançou uma cartilha sobre o tema da campanha.

Relatório divulgado no início deste ano pelo Grupo Gay da Bahia mostrou que 312 gays, travestis e lésbicas foram assassinados no Brasil em 2013, o que representa uma vítima fatal a cada 28 horas, em média. Só em janeiro deste ano, segundo a organização, 42 pessoas da população LGBT foram mortas no País.

De acordo com informação do grupo, o Brasil seria o campeão mundial na ocorrência crimes homotransfóbicos: 40% dos assassinatos de pessoas LGBT ocorreram no País. Pernambuco, com 34 mortes, e São Paulo, com 29, foram os estados onde esses crimes mais ocorreram.

Um relatório sobre violência homofóbica divulgado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, com dados referentes a 2012, revelou que o número de denúncias de violência homofóbica cresceu 166% em relação ao ano anterior, saltando de 1.159 para 3.084 registros.

O número de violações de direitos humanos relacionadas à população LGBT também aumentou: saiu de 6.809 casos em 2011 para 9.982 em 2012, o que representou um aumento de 46,6%. O número de violações é maior porque em uma única denúncia pode haver mais de um tipo de transgressão.

As denúncias mais comuns, que envolveram 4.851 vítimas, foram de violência psicológica, discriminação e violência física, respectivamente. A 18ª edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo ocorre no próximo domingo (4) e tem como tema País Vencedor É País sem Homolesbotransfobia: Chega de Mortes! Criminalização Já! Pela Aprovação da Lei de Identidade de Gênero.

Com informações da Agência Brasil

Clique aqui para acessar a cartilha

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leia também