Vitória

Oposição impede votação do “Escola Sem Partido” na Câmara

Ainda não foi divulgada outra data para a votação do relatório final do “Escola Sem Partido”
:: PT na Câmara14 de novembro de 2018 10:04

Oposição impede votação do “Escola Sem Partido” na Câmara

:: PT na Câmara14 de novembro de 2018

Em mais uma vitória da educação brasileira, do PT, dos demais partidos de esquerda (PCdoB, PSOL, PDT, PSB) e dos movimentos e entidades que defendem a democracia nas escolas, foi novamente adiada nesta terça-feira (13) a votação na Câmara do substitutivo do deputado Flavinho (PSC-SP) ao projeto de lei (PL 7.180/14) denominado “Escola Sem Partido”.

Defensores do projeto tentaram votar o texto durante todo o dia na Comissão Especial que analisa o tema, mas a forte obstrução dos parlamentares de oposição interrompeu o processo por duas vezes, devido ao início de votações no plenário da Câmara e do Congresso Nacional. Essa é a segunda semana consecutiva que os defensores do projeto não conseguem votar a proposta.

A deputada Erika Kokay (PT-DF) explicou que a proposta é ofensiva porque impõe a censura aos professores. A crítica irritou o relator da matéria, deputado Flavinho (PSC-SP). Ele gritou que o projeto não censura os professores e chamou a petista de “mentirosa e dissimulada”. Ao exercer o direito de resposta, Kokay contrapôs que “não é com ofensa que irão nos calar”.

“Esse PL fere, sim, a Constituição de forma aberta e busca calar o debate nas escolas. Defendemos a liberdade de cátedra e não a doutrinação partidária. Esse projeto impõe a LGBTfobia e o sexismo nas escolas, ao abolir a palavra gênero. Esse projeto tem medo da liberdade. Nós não queremos escola com partido, mas uma escola para todos e todas, que contemple a diversidade religiosa, sexual e a liberdade de amar e ser amado”, defendeu.

Confira a íntegra da matéria

Leia também