Paim pede para deputados votarem fim do fator previdenciário


Senador diz que lei que instituiu o fator “é a mais perversa” desde o fim da ditadura.

:: Da redação17 de dezembro de 2013 21:04

Paim pede para deputados votarem fim do fator previdenciário

:: Da redação17 de dezembro de 2013

Paim: desafio é criar um conjunto global de
políticas que garantam velhice com dignidade

O senador Paulo Paim cobrou, em pronunciamento ao plenário, nesta terça-feira (17), que a Câmara dos Deputados vote o projeto que extingue o fator previdenciário, “a lei mais perversa inventada depois da ditadura, que confisca metade do salário dos mais pobres” [quando se aposentam]. Ele criticou os parlamentares que, durante a campanha eleitoral, manifestam-se contrários ao fator previdenciário, mas que, depois de eleitos, travam a votação da proposta de extinção desse mecanismo.

Paim citou projeções das Nações Unidas, que apontam um acentuado crescimento da população idosa no Brasil, o que exigirá dos governos a capacidade de construir políticas públicas específicas para esse segmento, levando em consideração o aumento do custo de vida acarretado pelo envelhecimento. Em 2050, o contingente de idosos brasileiros representará 25% do total da população — nos anos 2000, os maiores de 60 eram 8%.

Além de planejar uma previdência que efetivamente ampare essa população, Paim lembra que também o sistema de saúde precisa acompanhar o envelhecimento da população: “Faltam geriatras em nosso País. Temos um geriatra para cada cinco mil idosos, quando a Sociedade Brasileira de Geriatria recomenda um para cada mil”.

Da mesma forma, enfatizou o senador gaúcho, é preciso ampliar a rede de delegacias do idoso, já que o segmento é um dos mais afetados pela violência familiar — 85% das agressões sofridas pelos maiores de 65 anos são praticadas por membros da família. “São agressões das mais variadas formas: apropriam-se do cartão de crédito e dos rendimentos, dos bens como casa e carro, espancam, negligenciam”.

Para Paim, o desafio é pensar um conjunto global de políticas que assegurem que todos os brasileiros possam envelhecer com dignidade. Na semana passada, Paim coordenou os debates sobre idosos e previdência do Fórum Mundial dos Direitos Humanos, realizado em Brasília, onde a violência e o encarecimento do custo de vida dos idosos foram temas centrais.

Leia também