Programas voltados à primeira infância estão com orçamento intacto,diz Gleisi

:: Da redação14 de outubro de 2015 21:01

Programas voltados à primeira infância estão com orçamento intacto,diz Gleisi

:: Da redação14 de outubro de 2015

Gleisi: Por meio do orçamento brasileiro que foi possível desenvolver programas e projetos relevantes para reduzir a mortalidade infantil no PaísIndependente da crise política, há um Brasil fora do Congresso Nacional que se beneficia com políticas articuladas e implantadas pelo PT. É o que mostrou na tarde desta quarta-feira (14) a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ao apontar que mesmo diante do momento econômico atual, o governo não restringiu os repasses aos programas sociais, especialmente os voltados à primeira infância.

“Todos esses programas continuam com o seu orçamento intacto. Nós continuamos distribuindo gratuitamente o remédio da asma; continuamos a distribuir as vitaminas; continua o Brasil Carinhoso; continuam os exames que são necessários às nossas crianças; continuam os recursos para as creches e continuam as construções de creches”, destacou.

Segundo a senadora, as iniciativas voltadas à primeira infância possibilitaram que o Brasil reduzisse a mortalidade infantil acima da média mundial, entre 1990 e 2015. Entre as iniciativas estão o Brasil Carinhoso, estratégia central de atenção à primeira infância do Plano Brasil Sem Miséria, e a Rede Cegonha, que incentiva o parto normal humanizado e intensifica a assistência integral à saúde das mulheres e crianças na rede pública.

“Nós estamos entre os 62 países que atingiram a meta do milênio. Enquanto a média internacional da meta foi de 53%, o Brasil alcançou 73%”, destacou Gleisi. Os dados foram divulgados em setembro no relatório Níveis e Tendências da Mortalidade Infantil 2015, elaborado pela Unicef, Organização Mundial de Saúde (OMS), Banco Mundial e o Departamento da ONU para Questões Econômicas e Sociais (Undesa).

Em 25 anos, o Brasil reduziu em 73% a mortalidade infantil. Há 25 anos eram registradas 61 mortes para cada mil crianças menores de cinco anos. O número caiu para 16 mortes (a cada cem mil) após esse período. Esse resultado não é eventual e Gleisi atribui esses números ao esforço da própria sociedade brasileira: “É através do orçamento, daquilo que a sociedade arrecada para manter o Estado brasileiro, que conseguimos desenvolver programas e projetos que são importantes e fizeram com que nós tivéssemos uma redução tão significativa e expressiva da mortalidade infantil”, enfatizou.

 

Leia mais:

Segundo Ipea, vulnerabilidade social caiu 27% entre os anos de 2000 e 2010

Leia também