Projeto do PT

Projeto amplia apoio à cultura durante a pandemia

Texto inclui temas que ficaram de fora da Lei Aldir Blanc e garante fontes de recursos para apoiar setor cultural
:: Assessoria do senador Paulo Rocha22 de junho de 2020 09:53

Projeto amplia apoio à cultura durante a pandemia

:: Assessoria do senador Paulo Rocha22 de junho de 2020

Mesmo com a aprovação da Lei Aldir Blanc, que destina R$ 3 bilhões à área da cultura e aguarda sanção do presidente da República, o Congresso Nacional ainda deve analisar outras matérias sobre o tema. Uma delas é o PL 3369/2020, que amplia o apoio a um dos setores da economia mais afetados pelo isolamento social.

O projeto, de autoria do senador Paulo Rocha (PT-PA), acrescenta proposições que ficaram de fora do texto original. Entre eles, a inclusão da Lei de Incentivo à Cultura, mais conhecida como Lei Rouanet, entre as fontes de recurso para apoiar apresentações ao vivo (lives) na internet.

As apresentações ao vivo têm sido um dos grandes destaques culturais no Brasil durante a pandemia. Apesar disso, de acordo com o senador, artistas menos conhecidos do grande público têm dificuldade de obter recursos para a digitalização das atividades e estratégias digitais de relacionamento com público, venda de produtos e prestação de serviços.

“A Lei Aldir Blanc prevê fonte de recurso para as apresentações ao vivo, como por meio de dotações orçamentárias da União, mas é preciso ampliar esse auxílio para os artistas que estão sem fontes financeiras. Esperamos democratizar o acesso ao apoio federal justamente nos segmentos que mais necessitam”, destacou o parlamentar.

Apoio
O projeto ainda prevê a execução de recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC) definidos pela Lei Orçamentária Anual de 2020. Paulo Rocha afirma que os valores vão auxiliar empresas e milhares de trabalhadores do setor das artes e da cultura que viram seu faturamento “diminuir a zero” com a pandemia.

“Existem centenas de projetos e produções já selecionados esperando apenas a liberação de recursos do FNC. Assim, ao tornar obrigatória a execução do fundo, ajudamos a criar condições para que o mundo cultural tenha condições de sobreviver durante a pandemia da Covid-19, e se reerguer tão logo a mesma regrida”, disse o senador.

Ele acredita que a utilização dos recursos do FNC deve amenizar a crise em um setor que representa 2,64% do PIB e emprega 5,2 milhões de pessoas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além disso, a execução do fundo não compromete a meta de resultado primário, suspenso este ano devido ao estado de calamidade pública em vigor no país

Confira a íntegra da matéria

Leia também