Fake News

Rogério Carvalho reage a ataques do ‘gabinete do ódio’ governista

Senador virou alvo de deputada bolsonarista Carla Zambelli, investigada pelo STF no inquérito que apura a propagação de fake news. Ela tentava defender a 'capitã cloroquina' Mayra Pinheiro, desmascarada por Rogério no depoimento à CPI da Covid nesta terça (25). "Se acham que vão me intimidar com essa estratégia, não me conhecem. Não terá anistia para esse genocídio praticado pelo governo”, afirmou o senador
:: Flávio Faria26 de maio de 2021 17:58

Rogério Carvalho reage a ataques do ‘gabinete do ódio’ governista

:: Flávio Faria26 de maio de 2021

Após desmascarar a secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro nesta terça (25) na CPI da Covid, o senador Rogério Carvalho (PT-SE) reagiu com veemência aos ataques da deputada bolsonarista Carla Zambelli (PSL-SP) nas redes sociais. “A rainha das fake news acaba de me chamar de mentiroso porque eu desmascarei as mentiras da ‘capitã cloroquina’. Sim, a mesma Carla Zambelli que responde inquérito por fake news no STF. A mesma que gravou um vídeo afirmando que a Havan era da filha da Dilma”, rebateu, indicando o tuíte com a falsa acusação.

A deputada tem aparecido na CPI do Senado para apoiar integrantes do governo. O ataque ao senador foi uma tentativa de defender Mayra Pinheiro, que negou de forma dissimulada as próprias declarações ao ser confrontada por Rogério Carvalho com vídeos e áudios em que ela mesma condena o isolamento social, estimula a imunidade natural de rebanho e defende o tratamento precoce para Covid-19 com cloroquina, medicamento desaconselhado pela OMS.

“Mayra Pinheiro tenta passar imagem de técnica, mas provamos que não existe embasamento técnico em suas teorias, apenas o sequenciamento da estratégia de Bolsonaro em buscar a imunidade de rebanho, com contaminação em massa”, afirmou o senador, que recebeu a solidariedade do líder da bancada no Senado, Paulo Rocha (PA).

Para Rogério Carvalho, a depoente não suportou ser desmentida ao vivo na CPI e recorreu ao ‘gabinete do ódio’ bolsonarista. “Vem firme, aqui estamos prontos para desmentir mentira por mentira. Estamos falando de vidas e não vou descansar até termos vacinas para todos e justiça para as vítimas deste genocídio”, completou.

O senador disse ainda que o ataque de pessoas investigadas no STF pelo crime de fake news mostra que ele está no caminho certo. “Se acham que vão me intimidar com essa estratégia, não me conhecem. Não terá anistia para esse genocídio praticado pelo governo que vocês defendem”, afirmou.

Outro motivo apontado pelo senador para os ataques está estampado em matéria de O Globo desta quarta (26), denunciando que Zambelli indicou o irmão, Bruno Zambelli, para ocupar um cargo comissionado no Ministério da Agricultura com salário de R$ 11 mil. “Ela sabe que a CPI chegou em Bolsonaro e está com medo da mamata acabar”, concluiu.

Leia também