Ataque à democracia

Senadores condenam ataques coordenados ao TSE e à democracia

Para Humberto Costa e Paulo Paim, ataques ao TSE são de uma “enorme irresponsabilidade” e cobram respeito à soberania do voto
:: Rafael Noronha19 de novembro de 2020 11:23

Senadores condenam ataques coordenados ao TSE e à democracia

:: Rafael Noronha19 de novembro de 2020

Os senadores Humberto Costa (PT-PE) e Paulo Paim (PT-RS) classificaram como “enorme irresponsabilidade” os ataques promovidos contra o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em decorrência das eleições municipais deste ano.

Investigação da SaferNet, organização não-governamental que atua em parceria com o Ministério Público Federal no monitoramento de fraudes eleitorais cometidas pela internet, aponta que ataques sofridos pelo TSE foram uma “operação coordenada” para “desacreditar a Justiça Eleitoral”.

“Os ataques sofridos pelo TSE são de uma enorme irresponsabilidade. A quem interessa a desqualificação dessa instituição? Com certeza não interessa à sociedade. Mas, certamente, interessa a aqueles que têm enorme dificuldade em conviver com a democracia”, criticou o senador Paulo Paim (PT-RS), presidente da Comissão de Direitos Humanos (CDH).

De acordo com a SaferNet, o ataque de negação de serviço (DDoS) foi uma ação premeditada, executada antes das eleições, mas publicada apenas no dia delas a fim de minar a credibilidade do TSE.

A notícia dos ataques causou um aumento no volume de conspiracionistas que afirmavam veementemente uma fraude no processo eleitoral. Perfis bolsonaristas e de outros políticos passaram o dia divulgando mensagens apontando para supostas fraudes eleitorais e falta de credibilidade do TSE.

“Não era difícil imaginar quem atacou o sistema de apuração do TSE no dia da eleição. E a Polícia Federal foi atrás e descobriu que grupos ligados às fake news foram os responsáveis pelos ataques à rede do Tribunal Superior Eleitoral. É gravíssimo”, destacou o senador Humberto Costa (PT-PE), membro da CPMI das Fake News.

O senador Paulo Paim também destacou o fato de que o aperfeiçoamento da democracia brasileira se dá apenas com o respeito ao voto popular. “O aperfeiçoamento da democracia se dá no dia a dia, no fortalecimento das instituições públicas, no respeito à soberania do voto, no avanço da participação popular e das diversidades políticas.  O TSE é fundamental em todo esse processo”, salientou.

Leia também