Amazônia

Subestimar crescimento das queimadas atenta contra a vida, alerta Paim

Com aumento do desmatamento e das queimadas, senador afirma que tema deve ser prioritário no Congresso Nacional
:: Rafael Noronha23 de agosto de 2019 11:29

Subestimar crescimento das queimadas atenta contra a vida, alerta Paim

:: Rafael Noronha23 de agosto de 2019

“Subestimar o crescimento das queimadas e do desmatamento no Brasil é um erro crasso do País em relação à vida”. Esse foi o alerta que o senador Paulo Paim (PT-RS) fez, nesta sexta-feira (23), em plenário.

Para o senador, o Congresso Nacional não pode se abster do tema no momento em que há considerável aumento do desmatamento e das queimadas nas florestas do País. De janeiro até o último dia 19 de agosto, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), houve um aumento de 83% das queimadas em relação ao mesmo período do ano anterior.

“Temos de tratar essa questão como prioridade um. Não podemos, em hipótese alguma, aprovar leis contrárias à preservação do meio ambiente. Pelo contrário, temos de defender a vida, não só não só dos seres humanos”, destacou.

Conforme reportagem publicada pela BBC News Brasil, o desmatamento em unidade de conservação na bacia do Rio Xingu, nos Estados do Pará e de Mato Grosso, cresceu 44,7% entre maio e junho deste ano em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Neste ano, após embates ideológicos com Bolsonaro, Alemanha e Noruega anunciaram a suspensão do repasse de recursos para o Fundo Amazônia, que reúne recursos nacionais e internacionais a favor da preservação ambiental. Nos últimos 10 anos, o fundo contou com 93,8% de verba da Noruega, 5,7% da Alemanha, para ações de combate ao desmatamento, de combate ao fogo e a favor do desenvolvimento sustentável.

Paim destacou a iniciativa de governadores integrantes da Amazônia Legal que anunciaram a intenção de negociar diretamente com estes países a manutenção dos recursos do fundo por entenderem que ele é fundamental para a defesa do meio ambiente.

“O respeito ao meio ambiente e aos povos das florestas, o pensamento ecológico e o desenvolvimento sustentável, a democracia, a justiça, a liberdade, os direitos humanos são princípios unificadores de uma sociedade humanista e humanitária. O caminho é esse, a convergência de pensamentos, de ações para a preservação do meio ambiente”, salientou.

Leia também