Suplicy quer análise do CNJ sobre a invasão do Pinheirinho

:: Da redação27 de janeiro de 2012 11:50

Suplicy quer análise do CNJ sobre a invasão do Pinheirinho

:: Da redação27 de janeiro de 2012

O senador Eduardo Suplicy (PT-SP) anunciou hoje (23/01) que vai pedir ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) uma análise sobre o que chamou de “iniciativa desastrada de reintegração de posse do Pinheirinho”. Para o senador, não havia motivo para uma ação violenta “quando todos os caminhos indicavam a possibilidade de um melhor entendimento”.

Em entrevista ao site da Liderança do PT no Senado, concedida pouco antes de seu embarque de São Paulo para Brasília onde pretende discutir a questão, o senador paulista disse que vai insistir em que o CNJ investigue os fatos. Segundo ele, não há por que a Justiça paulista ter determinado a desocupação da área quando havia uma negociação em curso.

Na manhã desta segunda-feira, Suplicy encaminhou correspondência ao prefeito de São José dos Campos, Eduardo Cury (PSDB) onde demonstra sua estranheza com a ação que deixou em pânico uma população que aguardava uma solução pacífica e negociada (veja abaixo a íntegra da carta enviada por Suplicy ao prefeito).

“Vossa Excelência me relatou sobre as suas preocupações de como seria importante viabilizar um caminho de solução para as famílias carentes que ali haviam ocupado a área – registrando a sua discordância com respeito à iniciativa de invasões – e que estaria disposto inclusive a contribuir para um entendimento com os governos Federal e Estadual.”, lembrou o senador na correspondência ao prefeito.

Ação desastrada – Nesse domingo (22/01), a Polícia Militar e a Guarda Civil Municipal de São José dos Campos, a 97 km de São Paulo, entraram em confronto com os moradores da região conhecida como Pinheirinho, em uma ação que já está sendo chamada nas redes sociais de Massacre do Pinheirinho

As negociações foram interrompidas às 6h, com o avanço de 2 mil policiais. A “reintegração” foi ordenada pelo comando da Polícia Militar de São Paulo.

Em todo o Pinheirinho estima-se que vivam 100 mil pessoas – a maioria delas é de famílias de trabalhadores da indústria, do comércio e de empresas que prestam serviços aos governos municipal e estadual, por meio da terceirização dos serviços públicos. 

Giselle Chassot

Leia a carta enviada pelo senador Eduardo Suplicy ao prefeito de São José dos Campos

Ouça a entrevista do senador Eduardo Suplicy
{play}images/stories/audio/suplicy_pinheirinho_2301.mp3{/play}
Clique com o botão direito para baixar o áudio

Leia mais:

OAB:ação foi “ilegal” e “faltou respeito” aos moradores

PT divulga nota em solidariedade aos ocupantes do Pinheirinho

Massacre do Pinheirinho mostra insensibilidade e despreparo

Foto externa: ovale.com.br

Leia também