Trabalhadores reagem a ações do governo ilegítimo e param por todo o País

:: Giselle Chassot11 de novembro de 2016 20:00

Trabalhadores reagem a ações do governo ilegítimo e param por todo o País

:: Giselle Chassot11 de novembro de 2016

Fotos: CUTGiselle Chassot, com informações da CUT

11 de novembro de 2016 | Atualizada às 18h17 

Trabalhadores de pelo menos 19 estados participam, nesta sexta-feira (11), das manifestações do Dia Nacional de Greve. O movimento é um protesto contra os ataques do governo ilegítimo aos direitos trabalhistas.  Pelas ruas, a classe a classe trabalhadora e movimentos sociais mais uma vez estarão juntos para que nossas conquistas não sejam enterradas por um governo golpista e ilegítimo.

O governo Temer já sinaliza retrocessos como a flexibilização da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a liberação das terceirizações, a reforma da previdência e investe pesado para aprovar a PEC da Maldade, que congela os gastos públicos por vinte anos, acabando com serviços públicos, atacando a saúde e a educação. 

Também sairemos em defesa do pré-sal, patrimônio do povo brasileiro e a maior riqueza natural do País que querem entregar às multinacionais estrangeiras, sucateando a Petrobrás, um dos principais motores do desenvolvimento brasileiro. 

A agenda inclui ainda a defesa do movimento dos estudantes secundaristas contra a reforma do ensino médio que a gestão Temer quer impor aos brasileiros sem discussão ou debate, a retomada do papel do Estado como indutor do desenvolvimento com distribuição de renda e a defesa de um Judiciário imparcial, sem viés partidário.

Participaram de reuniões para preparar a mobilização a Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), a Conlutas, a Força Sindical, a Intersindical, a Nova Central e a União Geral dos Trabalhadores (UGT). 

Em comum, os dirigentes das centrais avaliam que existe a necessidade de buscar unidade para barrar as investidas do governo contra movimentos e direitos.

 

Confira onde acontecem e participe você também da mobilização:

 

ALAGOAS

Na capital Maceió cerca de 5 mil realizaram marcha pelo Centro da Cidade, onde bloquearam a Rua do Sol, principal rua do comércio. Paralisações dos rodoviários e bloqueios de pistas em vários pontos da capital marcam o dia de luta contra a PEC 241/55.

No interior do estado, movimentos populares mobilizam-se nas regiões do Sertão, Agreste e Zona da Mata. As atividades acontecem nos municípios de Delmiro Gouveia, Arapiraca e Palmeira dos Índios.

 

ACRE
Piquete e panfletagem no centro de Rio Branco

 

AMAPÁ

·     Campus binacional do Oiapoque da Universidade Federal do Amapá – ocupado

 

BAHIA

·     Zona rural trava o trevo Serrinha

·     Empresa Camurujipe parada

·     BR 101 em Santo Antonio de Jesus na Bahia – trancada

·     Salvador sem coleta de lixo

·     Pólo industrial fechado às três vias

·     Feira de Santana – rodoviários parados

·     Edifício administrativo da Petrobras em Salvador ocupado pelos manifestantes

·     BA 535 Via Parafuso – Centrais sindicais e movimentos populares bloqueiam via de acesso ao Polo de Camaçari

·     Salvador também parou com a greve dos trabalhadores e trabalhadoras do transporte coletivo. A paralisação, acompanhada de protestos dos sindicatos nos terminais de ônibus, começou às 4 da manhã e os ônibus voltaram a circular após as 8 horas, gradativamente.0

·     Em Feira de Santana, os trabalhadores e trabalhadoras das empresas de fretamento de ônibus pararam integralmente até as 7 da manhã. Com isso, trabalhadores de empresas que usam os ônibus fretados promoveram atrasos na entrada dos turnos.

 

BRASÍLIA

·     Brasilia- Foto CUTRodoviários do DF na greve geral. Na capital do Distrito Federal, nas barbas do governo golpista de Michel Temer, todo o transporte público cruzou os braços. Os usuários ficaram a pé até as 9 da manhã, quando os ônibus voltaram a circular.

Limpeza urbana do Df na greve
Simbolizando a morte dos Direitos trabalhistas, cruzes foram posicionadas em frente ao Conjunto Nacional em Brasíla
Brasilia, Greve por todo lado. Manifestação em frente ao ministério da educação/Brasília.

Trabalhadores terceirizados na limpeza dos hospitais e escolas públicas, juntamente com o pessoal da merenda escolar no Distrito Federal (DF), protestaram na Câmara Legislativa do DF (CLDF) por não terem recebido ainda o salário e o tíquete alimentação do mês e que já deveria ter sido pagos desde o ultimo dia 7/11.

 

Eles são empregados da Ipanema, Servegel, Apecê, Dinâmica, Juiz de Fora, Real JG, Confere e Planalto, empresas contratadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF).

CEARÁ

·     Caminhada pelo centro de Fortaleza pela manhã.

Ato em Fortaleza, contou c/ cerca  de 20 mil pessoas. Ato unificado das Centrais Sindicais, Frente Brasil popular é Frente Brasil Popular.

No centro de Fortaleza todas as lojas fecharam e os motoristas de ônibus paralisaram os terminais rodoviários, ato unificado das centrais, FBP e Frente Povo sem Medo.

 

ESPÍRITO SANTO

·     Sindicato de Limpeza Urbana participa da movimentação

·     Está marcado ato a partir do INSS Beira Mar e acontecerá uma caminhada até o Palácio Anchieta, parando em frente à Justiça Federal e Praça Jucutuquara

 

GOIÁS

·     Ato em Jataí-Goias

      Ato na Praça do Bandeirantes 

 

MATO GROSSO

Em Cuiabá – MT, juventude do MST contra PEC 55

 

MATO GROSSO DO SUL

Campo Grande – na Praça do Rádio Clube já reunidas cerca de mil pessoas, em sua maioria trabalhadores e trabalhadoras em educação, diversas entidades sindicais e estudantes.

Manifestações de trabalhadores da construção civil

 

MARANHÃO

·     Previsão de ato na Praça Deodoro às 16 horas

 

MINAS GERAIS

·     O ato unificado parte da Praça Sete de Setembro e segue até a Assembleia Legislativa, onde haverá uma audiência pública com movimentos sociais, petroleiros, trabalhadores da educação, saúde, metalúrgicos e bancários.

 

PARÁ

·     O ato em Belém reuniu 10 mil pessoas. A concentração ocorreu em dois locais: os trabalhadores urbanos, estudantes e populares se reuniram ao lado do Mercado de São Brás, no bairro de São Brás; enquanto trabalhadores rurais ligados à Federação dos Trabalhadores em Agricultura (Fetagri) e Sem Terras se concentraram num outro ponto da cidade, na sede do INCRA, no bairro Curió-Utinga.

      As duas manifestações saíram em caminhada por volta das 11h30 pela avenida Almirante Barroso, ponto de entrada e saída da cidade. O encontro dos dois atos ocorreu em frente a sede do Tribunal de Justiça. Além de protestar contra a PEC 55 e outras maldades do governo Temer, os manifestantes repudiaram a postura do Judiciário brasileiro que vem agindo contra a democracia e os direitos da classe trabalhadora.

      Além de Belém, houve manifestações em outros municípios paraenses. Em Abaetetuba, região nordeste do Estado, a 100 quilômetros de Belém houve ocupação do prédio do INSS.

      Do outro lado do Estado, na região oeste, às margens do rio Tapajós, em Santarém (a mais de 800 quilômetros de Belém), 7 mil pessoas caminharam pelas ruas com paradas estratégicas em frente a Caixa e INSS.

      A Universidade Federal do Oeste do Pará também foi ocupada.

 

PARAÍBA

·     O aterro sanitário de João Pessoa está parado

 

PARANÁ

·     11h – Ato na Praça Rui Barbosa

·     18h30 – Ato na Praça 19 de Dezembro com o mote “Nenhum Direito a Menos”

 

PERNAMBUCO

      Garagens de ônibus e principais avenidas fechadas

      Estradas trancadas: BR 101, BR 232, BR 408, BR 110, BR 428, BR 104 e PE 045, PE 050 E PE095

      Ao todo 20 pontos de estradas e principais vias

      Ruas e avenidas fechadas no Centro do Recife

      Complexo do Porto de Suape parado

      Metrô parou entre 4h as 8h da manhã

      Ferroviários também pararam na parte da manhã

 

      SUDENE, universidades e escolas públicas todas paradas

Em todo o estado, mais de quatro mil professores estão parados:

Totalmente parados

      – São Lourenço da Mata – 576 professores;

      – Inajá – 235 professores;

      – Santa Cruz do Capibaribe – 467 professores;

      – Águas Belas – 378 professores;

      – Surubim- 275 professores;

      – Itacuruba- 130professores;

      – Quipapa – 320 professores;

      – Tacaimbó- 132professores;

      – Itapetim – 183 professores;

      – Quixaba – 134 professoees;

      – Iguaraci – 185 professores;

      – Santa Cruz da Baixa Verde – 145 professores;

      – Calumbi – 134 professores;

      – Itaquitinga – 153 professores;

      – Aliança- 467 professores;

      – Camutanga-57 professoes.

      Parcialmente parados

      – Tabira;

      – Sanharó

      – Manari;

      – Mirandiba;

      – Verdejante;

      – Freitas Miguelinho – 180 professores;

      – Santa Maria do Cambucá – 220 professores.

 

PIAUÍ

·     Trabalhadores rurais fizeram manifestação em Picos

Em Teresina, motoristas do transporte público pararam em peso suas atividades na parte da manhã

 

      Registro

      Instituto Federal de Registro, no Vale do Ribeira, parou.

 

      Ribeirão Preto

Trabalhadores do Hospital das Clínicas (campus USP) pararam

 

RIO DE JANEIRO

Portuários fizeram protesto pela manhã no cais e nos terminais da cidade Macaé 

Petroleiros de Caxias participam da mobilização 

Estudantes saíram em marcha pela avenida Rio Branco e ocuparam contra o PL 55

 

RIO GRANDE DO NORTE 

·     Doze pontos das principais rodovias federais e estaduais parados a partir das cinco horas da manhã 

·     Em Natal, adesão atingiu 100% das garagens na manhã de hoje.

 

RIO GRANDE DO SUL

·     Piquete na Carris, empresa pública de ônibus de Porto Alegre, logo cedo. O pelotão de Choque da Polícia Militar garantiu a saída dos ônibus  com spray de pimenta nos olhos dos trabalhadores. 

·     A Universidade Federal de Santa Maria está ocupada

·     Estudantes e militantes do MTST param a Avenida Bento Gonçalves em Porto Alegre nesta manhã.

·     Paralisação na Gerdau é um sucesso desde das seis da manhã

·     Manifestações em Campus do Vale 

·     Ato e caminhada operária e estudantil em São Leopoldo

 

SANTA CATARINA

·     Florianopolis -CUTAs principais mobilizações são articuladas com o auxílio de trabalhadores municipais e da agricultura familiar.

Trabalhadores do setor de transportes pararam na capital. Florianópolis amanhece sem ônibus.

 

Em Chapecó, no oeste catarinense, três mil trabalhadores estão concentrados na Praça Coronel Bertaso. Eles marcham até o INSS, CEF e Gered.

 

 

 

SÃO PAULO

Pela manhã,  representantes de diversos movimentos sociais e centenas de trabalhadores ocuparam a Rodovia Anchieta (foto).

·     Às 16horas, ato na Praça da Sé, em São Paulo, por nenhum direito a menos. Atos previstos nas subsedes.

·     Guarulhos que atinge 99 linhas de ônibus paradas pela manhã . A cidade de Guarulhos amanheceu parada por conta da paralisação dos motoristas, cobradores e trabalhadores das garagens de ônibus. O principal terminal da cidade parou. 500 mil usuários foram informados sobre as razões do protesto.

·     Sorocaba, rodoviários parados até 12h

·     Arujá – rodoviários 100% parados

·     Sorocaba – rodoviários parados

·     Osasco – panfletagem na estação de trem

·     Anhanguera- SP – Entrada de Sumaré

·     Empresa Rhodia Paulínia. Químicos Unificados da Intersindical – Complexo Rhodia agora, paralisação de várias categorias

·     Paralisação na Anchieta – FBP 

·     Hospital das clinicas São Paulo – manifestação

·     Em São José dos Campos, o sindicato dos rodoviários do Vale do Paraíba realizou passeata pelas ruas do centro da cidade, com panfletagem e debate com a população.

      Na capital paulista, Avenida João Dias, estrada de Itapecerica e M’ Boi Mirim amanheceram paradas.

·     Rodovia Bandeirantes com Avenida Amoreiras, em Campinas, foi fechada também pela manhã. 

·     Rodovia Anchieta, Dutra, Régis Bittencourt, Anhanguera e trecho da Jacu Pêssego também tiveram bloqueios e manifestações.

 

CATEGORIAS QUE ADERIRAM

. Metalúrgicos

. Químicos

. Bancários

. Petroleiros

. Professores

. Eletricitários

. Servidores Federais

. Servidores municipais

. Condutores de várias cidades de SP, de Recife, de Natal, do Distrito Federal

. Trabalhadores da Sabesp da capital paulista e cidades da Grande São Paulo, como em São Bernardo do Campo, e também no interior, nas cidades de Taubaté, Pindamonhangaba, São José dos Campos, Itapetininga, Avaré, Itapeva, Presidente Prudente, entre outras.

. Em Emerlino Matarazzo, vidreiros paralisados na antiga Cisper, atual Owens Illinois – fabricante de embalagens de vidro mundial.

. Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região realizaram paralisação em diversas agências, CAT, ITM, etc.

. Sindicato dos Enfermeiros do Estado de São Paulo e servidores da saúde protestaram em frente ao Hospital das Clínicas.

. Hospital do Ipiranga teve paralisação.

. Mobilização dos trabalhadores na Comgás-Figueria-Brás.

. Sindema realizou uma aula pública pela manhã.

 

Bauru

Transporte parou pela manhã e manifestantes estão em vigília em frente à Câmara Municipal. A atividade é organizada pela Frente Brasil Popular (FBP), Apeoesp e estudantes e segue até o final a tarde.

Sinergia realizou panfletagem pela cidade.

 

Bragança Paulista

Trabalhadores/as da Energisa realizaram assembleia

 

Campinas

Trabalhadores da construção civil da Sirius pararam.

Além de trancaço na rodovia, trabalhadores, militantes e estudantes fizeram ato conjunto na cidade pela manhã.

 

Diadema

Químicos na empresa Tirreno Indústria e Comércio, no bairro Vila Conceição, pararam nessa manhã.

Metalúrgicos panfletaram no terminal metropolitano do Piraporinha.

 

Guarulhos

Trabalhadores do transporte de Guarulhos e Arujá paralisados. Teve adesão massiva na região. Depois, teve ato e caminhada pelo calçadão comercial.

 

Itapeva

Transporte urbano nas cidades de Itapeva, Itararé e Capão Bonito parado. Condutores da empresa Jundiá cruzaram os braços também. Todos eles fazem parte da base do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e região.

 

Limeira

Condutores de Limeira também atrasaram entrada de turno esta manhã e realizaram assembleia.

Servidores municipais realizaram ato em frente à prefeitura.

Bancários também pararam.

 

Mauá

Na Recap, trabalhadores próprios e terceirizados ficaram mobilizados desde às 6h. Também participam do ato aposentados do Daesp e militantes de movimentos sociais.

 

Mogi das Cruzes

Trabalhadores/as da empresa Melhoramentos cruzaram os braços.

 

Ourinhos

CUT Ourinhos, Sindicato dos Servidores Públicos Municipais e Autárquicos de Ourinhos e Região (Sinserpo) e militância foram para as ruas panfletar e dialogar com servidores e população.

 

Osasco

Panfletagem na estação de trem de Osasco e depois ato com caminhada pelas ruas do calçadão.

 

Paulínia

Na Replan, os petroleiros paralisaram as atividades.

 

Piaui

Lojas do Centro foram fechadas e ônibus estão parados.

 

Santo André

As categorias se reuniram e fizeram panfletagem na cidade e nas agências bancárias paradas.

 

São Bernardo do Campo

Paralisação dos químicos na Empresa Nazca Cosmético, no bairro Cooperativa.

Ato no Pavilhão Vera Cruz com movimentos e sindicatos cutistas de diferentes categorias do ABC. Depois saíram em caminhada pelo centro.

 

São Carlos

Metalúrgicos atrasaram a entrada do turno e realizaram assembleias nas empresas Tecumseh I, Volkswagen e Electrolux.

Trabalhadores da CPFL também paralisaram as atividades nesta manhã.

 

São José dos Campos

Servidores municipais pararam e realizaram ato em frente à prefeitura.

 

Sorocaba

Transporte urbano, intermunicipal e rodoviário de Sorocaba, Votorantim, São Roque, Mairinque, Alumínio, Itapetininga, Tatuí, Araçoiaba da Serra, Salto de Pirapora, Capela do Alto, Piedade, São Miguel Arcanjo e Pilar do Sul pararam. O transporte por fretamento, inclusive o escolar, também está sendo paralisado nessas cidades.

Trabalhadores da Ralip, fretamento de Araçariguama, região metropolitana de Sorocaba, também cruzaram os braços.

Trabalhadores/as do vestuário também pararam nesta manhã.

Registro

Instituto Federal de Registro, no Vale do Ribeira, parou.

Ribeirão Preto

Trabalhadores do Hospital das Clínicas pararam

 

TRANCAÇOS

Na capital paulista, a Avenida João Dias, estrada de Itapecerica e M’ Boi Mirim amanheceram paradas. Movimentos sociais, como o MTST, fecharam as vias e as seguintes rodovias: Anchieta, Anhanguera, Dutra, Regis Bittencourt e Bandeirantes (toda região de São Paulo).

Na via Anhanguera, na entrada de Sumaré, também teve protesto e paralisações.

 

Rodovia Bandeirantes com Avenida Amoreiras, em Campinas, foi fechada também pela manhã.

 

TOCANTINS

Manifestação de rua convocada pela Frente Brasil Popular e centrais sindicais

 

Às 16h, na Avenida JK

 

Portugal

Cw-2HIvWgAASh2FFoto: Bethânia Suano

Leia também