Walter Pinheiro defende uso da tecnologia nos serviços públicos

Parlamentar antecipou em plenário debate sobre o marco civil da internet

:: Da redação25 de março de 2014 19:17

Walter Pinheiro defende uso da tecnologia nos serviços públicos

:: Da redação25 de março de 2014

Senador baiano argumenta que evolução
depende de iniciativas para aproveitamento
de recursos que estão acessíveis ao cidadão

O grande desafio no uso das tecnologias é colocá-las a serviço da inclusão e da transformação. “É preciso garantir que a internet chegue efetivamente à vida das pessoas, num processo transformador e universal”, afirma o senador Walter Pinheiro (PT-BA). Em discurso ao plenário na tarde desta terça-feira, 25, o parlamentar analisou o grande leque de possibilidades de ampliação dos serviços públicos com o uso de tecnologia. “Cidade Digital não é só internet gratuita na praça pública para o entretenimento, é um conjunto de serviços que melhoram a vida das pessoas, independentemente de sua localização geográfica ou faixa de renda.”

Pinheiro chamou a atenção para o debate que em breve será travado no Senado sobre o marco civil da internet. A matéria está em tramitação na Câmara dos Deputados e em seguida chegará à Casa. “Está em jogo a adoção de regras que assegurem a liberdade e, ao mesmo tempo, coloquem a rede a serviço da transformação”, avaliou o senador representante da Bahia.

O parlamentar é autor de projeto que garante a possibilidade de realização de pagamentos e operações bancárias por meio do celular. “Vinte milhões de brasileiros estão fora do sistema bancário, muitas vezes porque sequer há um banco na região onde vivem. Em contrapartida, temos 272 milhões de linhas de celulares em operação no País. O projeto tem a função de facilitar a vida das pessoas.”

Pinheiro descarta os argumentos de que pessoas menos escolarizadas teriam dificuldades de usar o sistema. “Basta lembrar que 80% dessas linhas de celular são pré-pagas, o que significa que cada vez que os usuários carregam novos créditos estão realizando operações muito semelhantes às que realizarão para pagar contas ou movimentar seus saldos do Bolsa Família ou do Garantia Safra, por exemplo”.

O senador sustenta que trazer a internet para a vida das pessoas em funções além do entretenimento nada tem de “odisséia no espaço”. São programas possíveis e que mudariam significativamente o acesso a serviços hoje concentrados nos grandes centros. Pinheiro cita projeto que está em adoção pelo Hospital Ana Nery, na Bahia, a partir do qual pacientes cardiopatas serão monitorados à distância, eliminando freqüentes deslocamentos. Outra linha de pesquisa pretende implantar o acompanhamento de hemodiálises também à distância, evitando que pacientes renais crônicos precisem sair de suas cidades para serem acompanhados por nefrologistas.

Cyntia Campos

Leia também