Projeto de Paulo Paim

Projeto que aprova desconto em medicamentos para aposentados vai à Câmara

Outra proposta de Paim aprovada abre possibilidade de mutuários com um ano de serviço poderem sacar FGTS  
:: Rafael Noronha10 de abril de 2019 15:15

Projeto que aprova desconto em medicamentos para aposentados vai à Câmara

:: Rafael Noronha10 de abril de 2019

Aposentados e pensionistas que ganham até o teto estabelecido pelo Regime Geral da Previdência Social (RGPS) poderão ter desconto de 50% na compra de medicamentos. O benefício, a ser subsidiado pelo governo federal, está previsto no Projeto de Lei do Senado (PLS 235/2018), aprovado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS), nesta quarta-feira (10). A proposta segue para a Câmara dos Deputados.

Para isso, o projeto apresentado pelo senador Paulo Paim (PT-RS) altera a Lei Orgânica da Saúde (Lei 8.080, de 1990). O texto mantém duas ações já adotadas pelo Programa Farmácia Popular, mantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS): fornecimento gratuito e subsidiado na compra de medicamentos com base em critérios epidemiológicos.

“É necessário ampliar a abrangência do Programa Farmácia Popular para beneficiar esse segmento da nossa população [aposentados e pensionistas], independentemente das moléstias de que padecem. Por isso, propomos criar uma terceira modalidade para fornecer a esse segmento o acesso a medicamentos a baixo preço, mediante subsídios que lhes possibilitem adquirir quaisquer remédios que lhes sejam prescritos com desconto de 50% no preço de referência”, destacou Paim.

Saque do FGTS
Também de autoria do senador Paulo Paim, a CAS aprovou o Projeto de Lei do Senado (PLS 359/2015) que abre a possibilidade de mutuários com um ano de trabalho com carteira assinada poderem usar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para liquidar ou amortizar o saldo devedor do financiamento imobiliário.

A proposta reduz o tempo de serviço sob regime de FGTS exigido para a obtenção do benefício, atualmente de três anos, conforme a Lei 8.036/1990. O relator, senador Jayme Campos (DEM-MT), recomendou a aprovação da medida, com a rejeição de emenda anteriormente aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), que restringia a concessão aos trabalhadores menos favorecidos.

Tramitação
Caso não haja recurso para votação em plenário, as duas matérias seguem para análise da Câmara dos Deputados.

Com informações da Agência Senado

Leia também