Fraude judicial

Em 2017, Lula denunciava pressão por seu nome em delação

Depois de acusar Lula, empresário Leo Pinheiro teve sua pena foi reduzida de 26 anos para 3 anos e meio, em regime semiaberto
:: Instituto Lula30 de junho de 2019 11:29

Em 2017, Lula denunciava pressão por seu nome em delação

:: Instituto Lula30 de junho de 2019

O caso de Leo Pinheiro, empreiteiro da OAS, é um dos mais emblemáticos na perseguição a Lula na Lava Jato. O empresário foi preso, solto, preso de novo, teve a pena aumentada de 16 para incríveis 26 anos até que mudou sua versão, citou o nome de Lula (sem nunca declarar que deu apartamento nenhum) e teve sua pena curiosamente reduzida para três anos e meio, em regime semi-aberto.

Reportagem publicada na Folha de S.Paulo  desde domingo (30) mostra que as seguidas mudanças de versão de Leo Pinheiro foram tratadas com descrédito pelos próprios procuradores que faziam parte do grupo da Lava Jato. Ainda assim, os procuradores procuravam encaixar a delação de Leo Pinheiro ao que queriam ouvir.

Em abril de 2017, há mais de dois anos, a defesa de Lula já denunciava as manobras , que ficam cada vez mais explícitas. Naquele momento, Leo Pinheiro acabava de incluir Lula em sua delação. Depois disso, sua pena foi reduzida em mais de duas décadas, e ele ficou com 3 anos e meio, já no semiaberto.

Leia a íntegra da matéria e veja a cronologia dos fatos

Leia também