Governos estaduais devem contratar mais das MPEs

Governos estaduais precisam seguir o modelo de compras do Governo Federal. “Até a Copa de 2014, queremos que todos os estados tornem-se os principais compradores de produtos e serviços das micro e pequenas empresas”, defende José Pimentel

:: Assessoria do senador José Pimentel10 de outubro de 2011 12:59

Governos estaduais devem contratar mais das MPEs

:: Assessoria do senador José Pimentel10 de outubro de 2011

Os governos estaduais precisam seguir o modelo de compras do Governo Federal para fortalecer as micro e pequenas empresas. “Até a Copa de 2014, queremos que todos os estados da federação tornem-se os principais compradores de produtos e serviços das micro e pequenas empresas”. É o que defende o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE).

Na última sexta-feira, falando ao Seminário Empreender, organizado pelo Sebrae, Pimentel destacou que, em menos de oito anos, as compras do setor tiveram um crescimento significativo, já que saltaram de R$2,6 bilhões em 2003 para R$ 15,9 bilhões em 2010. Seguindo este modelo, o senador afirma que os Governos Estaduais podem se transformar em grandes parceiros das micro e pequenas empresas nas compras governamentais, propiciando mais possibilidades de crescimento e desenvolvimento dessas empresas, principalmente quando o país se prepara para receber a Copa do Mundo de Futebol em 2014.

O senador cearense também aproveitou a oportunidade para destacar os principais pontos do projeto de lei complementar que aperfeiçoa o Simples Nacional (PLC 77/11), aprovado na última quarta-feira (5), no Senado. Segundo Pimentel, o projeto vai permitir logo após à sanção presidencial, o aumento do teto de enquadramento dos empreendedores individuais e das micro e pequenas empresas ao Simples, o parcelamento em até 60 meses das dívidas das MPEs com o fisco e o reajuste de 50% das 20 faixas de tributação do Simples Nacional, a partir de janeiro de 2012. “Para fortalecer as micro e pequenas empresas votamos por unanimidade pelo aperfeiçoamento do Simples Nacional. Este setor agora tem ainda mais oportunidade para crescer, se desenvolver e gerar mais emprego e renda, contribuindo para a economia brasileira”, afirmou Pimentel.

Empreender
Na sua quinta edição, o Seminário Empreender está discutindo este ano a inovação e assistência técnica para às micro e pequenas empresas, com inclusão social. Segundo a presidente-executiva do Grupo de Comunicação O Povo Luciana Dummar, o Seminário tem como objetivos contribuir para o fortalecimento das MPEs e continuar colaborando como um “grande agente de capacitação do mercado de trabalho” diante das oportunidades abertas pela “nova economia” do país.

“É um privilégio para o Grupo de Comunicação O Povo organizar este Seminário que foi pensado a partir da preocupação do Governo Federal com o empreendedorismo lá em 2007. Pois são as micro e pequenas empresas que geram mais emprego e renda no país”, disse Luciana Dummar.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL) Honório Pinheiro em aparte ao discurso da presidente do Grupo O Povo, disse que para uma MPE crescer e se desenvolver é preciso apostar na inovação. “Construindo uma inovação com novos modos e diferencial, os empreendedores podem evoluir e chegar cada vez mais adiante”, explicou Honório.

Para Bruno Quick, Gerente de Políticas Públicas do Sebrae nacional, no Ceará sempre nascem boas idéias e iniciativas, e por isso, é necessário investir e estimular a inovação dos negócios a partir de seminários como o Empreender. “O sol no Ceará brilha diferente, e isso dá um click na gente, nos permitindo desenvolver novas estratégias para fazer crescer os nossos negócios, o que contribui também para o crescimento da economia”, disse Bruno Quick.

Painel
Dentro da programação do Seminário, o senador José Pimentel também participou como debatedor do Painel: O Talento Cearense; exemplos de Projetos Inovadores Focados em Empreendedorismo. Em sua fala, Pimentel disse que nos próximos anos vários investimentos devem chegar ao Ceará por conta da construção do pólo metal-mecânico no Porto do Pecém, gerando uma grande demanda por mão de obra qualificada.

Para o senador Pimentel, esse é o grande desafio dos institutos federais de educação tecnológica e das escolas técnicas, preparar a juventude para assumir estas vagas quando elas estiverem sendo ofertadas. “Nós queremos que daqui a alguns anos, quando este grande pólo metal-mecânico entrar em funcionamento, que essas oportunidade fiquem com as nossas famílias, com o nosso povo, por isso, nos últimos anos o Governo Federal vem investindo tanto em educação tecnológica”, afirmou Pimentel.

Fonte: Assessoria do senador José Pimentel

Leia também