Paim apela para que senadores votem do lado dos mais pobres

:: Cyntia Campos31 de agosto de 2016 01:56

Paim apela para que senadores votem do lado dos mais pobres

:: Cyntia Campos31 de agosto de 2016

Paulo Paim: “o golpe é contra você, dona de casa, pequeno empreendedor, trabalhador. É contra você, aposentado e pensionista, que deram a vida para este País”O impeachment da presidenta Dilma, caso vitorioso, é o tipo da ação que golpeia, mas não leva, avalia o senador Paulo Paim (PT-RS). “De que adianta chegar ao poder dessa forma e depois não poder caminhar nas ruas ou participar de um encerramento de Olimpíada? Os que chegam ao poder sem voto serão eternos prisioneiros da sua própria consciência”.

Mas as piores consequências, é claro, não serão suportadas pelos patrocinadores do atentado à Constituição, mas pelos trabalhadores e pelo povo mais pobre. “O golpe é contra você, dona de casa, pequeno empreendedor, trabalhador. É contra você, aposentado e pensionista, que deram a vida para este País”, alertou o senador.

Em pronunciamento durante o debate sobre a proposta de impeachment da presidenta, na noite desta terça-feira (30), o senador petista fez um apelo aos colegas de Senado para que votassem “com a verdade e com a liberdade” e “do lado dos inocentes”. Paim ressaltou que esse é um voto que não pode ter preço e que, como descendente de Zumbi e dos Lanceiros Negros do Rio Grande do Sul, vai votar com sua consciência, “com o povo brasileiro em defesa da mãe de todas as causas: a democracia”.

Lembrando os Lanceiros Negros, traídos e entregues ao massacre das forças imperiais na última batalha da Guerra dos Farrapos, Paim afirmou que as traições podem derrotar temporariamente, mas o tempo sabe reconhecer quem são os heróis. “A presidenta Dilma não cometeu crime de responsabilidade. Isso está provado. Por isso, não podem os tais senhores que são donos das leis quererem carimbar o contrário”.

O processo de impeachment é, portanto, “um atentado político, um golpe parlamentar que o mundo está assistindo, daqueles que, sinceramente, perderam o amor pela palavra liberdade e pela democracia”. O senador lamentou que sequer a proposta de plebiscito sobre antecipação das eleições tenha sido acolhida para debate pelos partidários do golpe. “Parece que têm medo de eleição”.

Visivelmente emocionado, o senador lembrou as graves mazelas que se implantarão, caso o golpe vença, como o atentado aos direitos dos trabalhadores, à previdência e às conquistas sociais. “Não tenho dúvida alguma de que a história dirá quem estava com a razão e com a verdade”.

O impeachment sem crime de responsabilidade não tem por alvo apenas Dilma, mas os sonhos, as esperanças de homens e mulheres do País, alertou.

Cyntia Campos