Oposição rasga Constituição para tentar atingir ministro do governo Dilma

:: Catharine Rocha23 de fevereiro de 2016 15:37

Oposição rasga Constituição para tentar atingir ministro do governo Dilma

:: Catharine Rocha23 de fevereiro de 2016

A dobradinha PSDB-DEM investiu, nesta terça-feira 23, contra o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini. Um requerimento, assinado pelo senador ultraconservador Ronaldo Caiado (DEM-GO) e defendido por Ataídes Oliveira (PSDB-TO) e Flexa Ribeiro (PSDB-PA), pedia a convocação de Berzoini à Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) para falar sobre a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo (Bancoop). Entretanto, com exceção dos três parlamentares citados, a proposta foi rejeitada pelo plenário da comissão.

A iniciativa, além de notabilizar mais uma vez a obsessão da oposição de “fazer sangrar” o governo Dilma – como deixou claro o tucano Aloysio Nunes Ferreira (SP) no início do ano passado –, viola o artigo 58 da Constituição Federal. Segundo a Lei Maior do País, um ministro só deve vir ao Congresso para tratar de assuntos atinentes ao cargo que ocupa. “O ministro não pode responder por questões alheias a sua atividade como integrante do governo”, esclareceu o líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE).

Humberto também elucidou que, apesar de ter sido um dos fundadores da Bancoop, Berzoini já estava afastado há muito tempo da diretoria e do conselho da cooperativa. “Esse tema já foi objeto de investigação até de uma CPI na Assembleia de São Paulo e não se verificou qualquer responsabilidade do ministro com a gestão que culminou na falência da Bancoop”, destacou.

Insistindo numa confusão de prerrogativas, Caiado sugeriu que estava sendo impedido de ver denúncias publicadas na imprensa de serem esclarecidas. Entretanto, sua oratória perdeu força quando ficou sem resposta diante de uma pergunta da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM): “O que a Bancoop tem a ver com a Secretaria de Governo?”.

Graziottin ainda lamentou que o líder do DEM se prestasse a um papel de toda semana apresentar um novo pedido de convocação contra diferentes membros do governo, buscando apenas fazer barulho e posar para as câmeras. “Toda semana é um requerimento. Achei que ele ia convocar o ex-presidente FHC sobre todos os fatos também gravíssimos noticiados”, alfinetou.

“Não é inventando e construindo palanque em cima de pessoas que não têm nada a ver com o assunto que vamos resgatar a credibilidade do Senado”, arrematou Donizeti Nogueira (PT-TO).

Catharine Rocha

 

Leia mais:

 

Senadores derrubam tentativa de líder do DEM de constranger ministro da Secom